E OUTRAS coisas mais

Publicado em 09/01/2018 e atualizado em 10/01/2018 - ponto-de-vista - Da Redação

Et Cetera, de forma reduzida etc., é a expressão de origem latina, pouco usada modernamente, que significa “e os restantes” ou “e outras coisas mais”. Normalmente é utilizada no fim de uma frase ou pensamento, ou no final de um texto, para representar a continuação lógica de uma série ou enumeração. Assim: “para escrever um bom artigo, deve-se tomar cuidado com a redação, ortografia... etc.”. (Ou recorrer à maestria de uma corretora de textos, não é, Izabel?). Aí é que está a minha implicância, que sempre me entediou. Seja para ler ou escrever, eu não gosto de usar as expressões etc., e outras, ou entre outras coisas. Não dizem nada... Não completam nada, não encerram nada. Não concluem. Deixam um vazio danado, gerando especulação, um raciocínio abstrato. Espera aí. Eu quero saber o que são as outras coisas! As Et Ceteras! É tudo ou nada. Certa vez, quando funcionário da Magnesita S/A - Quarta produtora de materiais refratários do mundo, em plena reunião da cúpula da Superintendência de Marketing e Gerências de Vendas (sempre confrontadas), sobre definição dos Planos Estratégicos de Marketing – um tipo de previsão orçamentária (aqui produção), de vendas dos produtos refratários por consumo específico para o ano seguinte e, sob críticas pesadas a nós vendedores, que não incluíamos corretamente o item próprio do equipamento e optávamos, na dúvida, pelo “outros”, constava lá, era o último, desprezado, mas estava lá. Desde então, implicado pelo abstrato, lasquei: Por que não excluir o quesito “outros”? A Inês é morta. É. Não adianta mais esta ação. Sugestão acatada por unanimidade.

Penso que “estas outras coisas mais, outros, ET Ceteras” não óbvias é que gostaríamos de saber. Estas é que nos interessam e são as importantes. O óbvio já conhecemos.

Fernando de Miranda Jorge - Acadêmico Correspondente da APC  / Jacuí/MG – E-mail: [email protected]