Melles propõe soma de forças para tipificar explosões a bancos como crime de terrorismo

Publicado em 11/04/2018 e atualizado em 11/04/2018 - politica - Da Redação

Melles propõe soma de forças para tipificar explosões a bancos como crime de terrorismo

Deputado foi a ministro pedir apoio federal para uma força-tarefa na região, que concentrou 40% dos casos de ataques a agências em 2017 

O deputado federal Carlos Melles (DEM-MG), está mobilizando forças no Congresso Nacional, buscando coordenar um esforço conjunto das diversas bancadas, em favor de diversos projetos de lei – que tramitam na Câmara e no Senado, que tipificam explosão de agência bancária, caixa eletrônico, carro forte e incêndio a transportes coletivos como crimes de terrorismo. Melles também propõe um diálogo amplo com forças públicas e privadas.

“Temos trabalhado nessa pauta há bastante tempo, e na sexta-feira passada – em função das ações em Jacuí, Cabo Verde e Areado, reforçamos nossa atuação neste sentido e solicitamos formalmente estatísticas junto a 18ª Região de Polícia Militar, em relação a esse tipo de ação criminosa no Sul de Minas. Na madrugada desta quarta-feira, infelizmente tivemos esse ato violento em Passos, o que deixa patente a gravíssima situação que enfrentamos”, disse o deputado, que na manhã de hoje (11/4), encaminhou oficialmente ao ministro extraordinário da Segurança Pública do Brasil, Raul Junggman, documento com farto conteúdo sobre o tema. “Pedimos apoio do ministro para uma força-tarefa na região” afirmou.

“Solicitamos ao ministro um apoio federal, não é mais possível que nossas comunidades convivam com tamanha insegurança. Para vocês terem uma ideia, nos levantamentos iniciais que conseguimos, há o registro de que 40% das explosões em bancos em Minas acontecem no Sul do Estado”, alertou Melles.

A proposta, segundo Melles, tem como objetivo somar forças com parlamentares de diversos partidos – que tem atuação forte nesta área, para tipificar esses crimes, classificando-os como atos terroristas, inclusive para efeitos penais.

Ainda de acordo com Melles “é importante a união do setor público com a iniciativa privada, com o fundamental respaldo da inteligência e qualificação das forças de segurança, para encontrarmos um caminho eficiente para fazer frente a esta onda criminosa, que assusta a população, traumatiza bancários e causa enormes prejuízos.

O deputado, em seu despacho com o ministro, enfatizou a localização estratégica do Sul e Sudoeste de Minas, no centro do mais importante polo econômico do país e também da “rota caipira” do tráfico de drogas.


ASCOM