A Folha Regional - Início - Marco Regis

Fuzilamento é o fim para traficantes de drogas na Indonésia

Em 24/01/2015 - Marco Regis - Da Redação

O noticiário do cumprimento da sentença da justiça indonésia, que executou,  no sábado passado,  não somente o brasileiro e carioca, Marco Archer Cardoso Moreira , 53 anos,  que estava preso havia 12 anos,  naquele país asiático, juntamente com quatro outros traficantes estrangeiros e um indonésio, causou manifestações diversas no Brasil. A começar pela Presidente Dilma Rousseff, que fez todos os esforços oficiais, inclusive dando um telefonema direto para o Presidente Joko Widodo, da Indonésia, pedindo clemência para o condenado. Consumada a execução a nossa presidente se disse “consternada e indignada” . Ela cumpriu o seu papel de pedir pela vida de um cidadão brasileiro condenado em terras estrangeiras, mas  não deveria transbordar tanta indignação eis que o país executor tem leis próprias e deu 12 anos de sobrevida ao condenado a fim de que toda a sua defesa fosse exaurida perante os tribunais locais. Também, ao longo desses 12 anos, o nosso Ministério das Relações Exteriores, e até o então Presidente Lula, envidaram todos os esforços para livrar o prisioneiro da morte. Na opinião do embaixador aposentado, Marcos Azambuja, em canal brasileiro de TV fechada, “foi feita toda a coreografia diplomática existente em questões internacionais, além das intervenções da nossa presidente, em prol do prisioneiro”.

Veja +

Eu NÃO sou Charlie

Em 15/01/2015 - Marco Regis - Da Redação

Analistas do cotidiano – como me vejo – não podem ser tomados pela comoção momentânea das multidões. Nas guerras, nas tragédias, nas perdas humanas isoladas ou coletivas, a tendência natural da sociedade é a viva emoção e a ativação de um processo de solidariedade à vitima ou ao conjunto de vitimados. Mesmo que tais analistas vejam os acontecimentos pela ótica diferente da maioria emocionada, não significa que eles, humanamente, desejam finais trágicos para quem quer que seja. Enfim, não são pessoas desprovidas do senso de ajuda mútua, quer dizer,  são pessoas impregnadas de solidariedade. Ademais, possuem sentimentos múltiplos e concatenados que lhes permitem um raciocínio com mais justeza, não sabendo eu se isso tem algo a ver com a lógica de Aristóteles, da qual somente conheço citações.

Veja +

Repugnância pelos torturadores e lágrimas pelos torturados

Em 22/12/2014 - Marco Regis - Da Redação

No último dia 10 de dezembro, foi divulgado o Relatório da Comissão Nacional da Verdade, que foi criada pela Lei Federal nº 12.528 e instalada em 16 de maio de 2012. Desde então, os seus integrantes investigaram torturas, mortes e desaparecimentos praticados por agentes de Estado, durante o período estipulado no Art. 8º dos Atos das Disposições Constitucionais Transitórias, de 5 de outubro de 1988.  Mas, certamente, o objetivo fundamental foi a Ditadura Militar que tomou conta do Brasil entre 1964 e 1985. Na sua escalação, uma composição de escol nos meios jurídico, científico e universitário nacionais. Sete pessoas da melhor estirpe intelectual e profissional.Necessário se faz que apresentemo-los aos interessados ou aos desavisados. 1) PEDRO DALLARI, Coordenador da Comissão,  paulistano, advogado pela USP – Universidade de S.Paulo e Administrador de Empresas pela FGV-SP, Fundação Getúlio Vargas. Doutor e Professor de Direito Internacional/USP. 2) GILSON DIPP, gaúcho de Passo Fundo, formado em Ciências Jurídicas e Sociais pela UFRS. Ministro do STJ – Superior Tribunal de Justiça. 3) JOSÉ CARLOS DIAS,  paulistano, graduado em Direito pela USP. Defendeu presos políticos da ditadura junto à Justiça Militar.

Veja +

“PHILAE” pousa no cometa em outro feito espacial histórico

Em 27/11/2014 - Marco Regis - Marco Regis

Posso me vangloriar de ter vivido em um período de aceleradas transformações científicas e tecnológicas da humanidade, especialmente o do nascimento e dos primeiros passos da astronáutica. Mas, não basta apenas ter vivido, mais importante é que tenha acompanhado com entusiasmo e sem interrupção essa escalada sideral de quase 60 anos, a contar da entrada em órbita do primeiro satélite artificial da Terra, o Sputnik I, lançado em 4 de outubro de 1957 pela União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).

Veja +

INCONFORMADOS AINDA QUEREM A CABEÇA DE DILMA

Em 22/11/2014 - Marco Regis - Da Redação

Se o escândalo da Petrobrás ainda serve de pretexto para o berreiro e as lamúrias de uns poucos, que ainda pregam o ‘impeachment’ da Presidente Dilma Rousseff, vou continuar esgrimindo com os desinformados e com os mal intencionados, porque tenho argumentação oposta. Afinal de contas, não vivemos num regime parlamentarista onde os gabinetes caem conforme as crises. Por duas vezes, em quarenta anos, foi oferecida ao nosso povo a opção dessa escolha, através de plebiscitos, vencendo em ambas o presidencialismo, mesmo que adjetivado e fortalecido como imperial. Parece mesmo que nosso povo gosta disso, que sofre de uma nostalgia, tendo uma preferência escondida pela monarquia, pois são tantos os empreendimentos de comércio e serviços no Brasil, que nos remetem a isso, tais como: Império dos Parafusos, Rei do Mate, Hotel Imperial, Rei da Bisteca, Rei Pelé e tanta coisa parecida.Fico confuso se o jeitinho brasileiro de se levar vantagem é herança de presidiários portugueses, aqui deixados nas primeiras expedições pelos nossos colonizadores, como dizem. A despeito disso, orgulho-me da nossa colonização portuguesa, mais despojada, mais sentimental e mais cristã. Não me simpatizo em nada com a organização e a frieza anglossaxônica nem com a ferocidade destrutiva representada pelos espanhóis, que arrasaram as civilizações azteca e inca.

Veja +

GOLPE DE ESTADO LEVADO A SÉRIO NO XORORÔ DOS PERDEDORES

Em 17/11/2014 - Marco Regis - Marco Regis

*Marco Regis Semana passada, neste jornal, me alonguei no texto “ O  Brasil Reapresenta um Cenário de Golpe de Estado ”, que foi  escrito quatro dias depois da reeleição da Presidente Dilma Rousseff.  Nenhum excesso de contundência, a não ser em parte do trecho, onde exortei os melindrados e ressentidos mauricinhos e patricinhas a  “picarem a mula” do Brasil. Este brasileirismo, que ora acresço,  é uma expressão popular que pode ser encontrada no  Dicionário Koogan/Houaiss, no significado do verbo picar,  ligado ao substantivo quase que apropriado àqueles que imaginam entender que democracia é o poder somente quando eles são os manda-chuvas.

Veja +

Asfalto nas cidades é mesmo sinônimo de progresso?

Em 16/11/2014 - Marco Regis - Da Redação

* MARCO REGIS Em 22 de março de 2010, este semanário publicou artigo de nossa autoria sob o título: “O Prefeito Mazzilli e o Legado das Pedras Preciosas”, que os leitores que se interessarem poderão rever,  clicando o meu nome que aparece do lado direito dentre ‘Colunistas’, buscando, em seguida, o referido título (www.afolharegional.com). Trata-se de texto em que condeno jogar asfalto nas ruas de paralelepípedos de Muzambinho, onde me solidarizo com o que escreveu neste mesmo jornal, no dia 9 do mesmo mês e ano,  o gabaritado professor universitário, administrador e publicitário, Helder de Melo Morais.  Faço este retrospecto, com o intuito de demonstrar posicionamento coerente, diante das notícias publicadas do último mês de outubro para cá, por esta mesma “Folha”, acerca da substituição de paralelepípedos e bloquetes por asfalto na nossa vizinha Juruaia, cujo contraponto passo a fazer. Minha intenção primordial é a discussão em nível ambiental e de mobilidade; jamais de imiscuir-me nas questões políticas juruaienses mesmo que eu ostente o honroso galardão de cidadão honorário desse Município.

Veja +

CONEXÃO GLOBAL: O Brasil reapresenta um cenário de golpe de estado

Em 31/10/2014 - Marco Regis - Da Redação

* Marco Regis No teatro da vida os acontecimentos estão registrados na História. Mas, há pessoas, privilegiadas por vidas mais longas, que se tornam protagonistas ou testemunhas oculares de pequenos períodos dessa História. No entanto, não basta uma longa vida para que isto se realize, há de ser uma existência antenada nas simples e complexas ocorrências do dia a dia, porque nem todos têm a percepção, a oportunidade ou o dom de repórter da Vida. Pessoalmente, julgo ter vivido intensamente as minhas sete décadas, até agora uma imensa dádiva, junto com outras dádivas nela embutidas. Dentro dessa extensa jornada percorrida, procurei observar, estudar e compreender a Política, o jogo de poder. Nesse campo, o meu “start” foi aos onze anos de idade, ocasião em que eu concluía o então chamado curso primário na vizinha Monte Belo.

Veja +

LIBRA, NA BALANÇA: O PETRÓLEO AINDA É NOSSO

Em 25/10/2013 - Marco Regis - Marco Regis

Apesar das mais diversas manifestações – contrárias ou favoráveis - pela definição do processo de exploração do megacampo petrolífero de Libra, importante é que isto tenha acontecido nesta 2ª feira, 21 de outubro de 2013, coincidentemente, um dia do signo astrológico de Libra. Localizado a 170 km da costa brasileira, entre o litoral dos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, na camada geológica do pré-sal, estima-se que este reservatório natural venha a produzir, aproximadamente, 12 bilhões de barris de petróleo, equivalente a quase toda a quantidade extraída em toda a existência da Petrobrás. A descoberta do óleo existente em diversas áreas do pré-sal brasileiro se deu em 2007, através do trabalho de prospecção da Petrobrás e anunciada como um novo eldorado pelo Presidente Lula.

Veja +

Programa Mais Médicos socorre os abandonados

Em 30/08/2013 - Marco Regis - Da Redação

Por Marco Regis * Já se vão mais de quarenta anos que me formei em medicina. Entretanto, algumas situações por mim defrontadas durante e ao final da minha formação universitária, bem como nos primeiros tempos do meu exercício profissional, ainda podem ser espelhadas no Brasil de hoje, a despeito da fantástica evolução científica e tecnológica alcançada pelo nosso mundo e da melhoria das condições socioeconômicas da nossa Pátria.

Veja +

« 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 »