DA PEC 55 A FIDEL CASTRO

Publicado em 04/12/2016 - legislativo - Da Redação

DA PEC 55 A FIDEL CASTRO

FÓRUM MUNICIPAL CONTRA A PEC 55
O Prof. Márcio, do IFSULDEMINAS, usou a Tribuna e falou sobre a PEC 55. Disse que no dia 16 de novembro, os professores do IFSULDEMINAS, servidores municipais e estaduais se reuniram na Câmara para constituir o Fórum contra a PEC 55, que tramita no Senado. Para ele, é de conhecimento de todos a gravidade que esta PEC representa para a sociedade, com o congelamento dos gastos primários por 20 anos. Segundo ele, se isto estivesse aplicado no Instituto, de 2006 para cá, a escola teria perdido cerca de 70% das receitas. “Por este motivo, a sociedade muzambinhense resolveu constituir este fórum”, disse. Márcio comentou sobre o ato realizado em frente ao Cesário Coimbra e também sobre uma carta, que pediu a assinatura dos vereadores, se concordassem com o teor, assim como de contatos destes, para contribuir com o processo. Márcio leu a carta, que constitui o fórum contra a PEC 55 e lista os motivos da contrariedade, inclusive, com números que mostram as consequências para a sociedade. 
O vereador Luquinha disse que isto vai ser um retrocesso total. Que o deputado que votar favorável, ele não apoiará, e que assinaria o documento. O vereador João Pezão também se manifestou a favor e disse que educação e saúde são prioridades e não podem ficar com um limite nos investimentos. O vereador Cristiano Almeida, que já havia criticado a PEC, também se manifestou favorável ao documento. Para ele, se aprovada a PEC será um repasse ainda menor para as cidades e hospitais, que ficaram desassistidos. O vereador João Poscidônio também se manifestou favorável ao documento contra a PEC. Segundo ele, se tira um governo com golpe é para saber que virá novos golpes e que espera que os brasileiros saiam às ruas para lutar por seus direitos. 
Cristiano Almeida retomou a palavra como líder do partido e falou contra a PEC, dizendo que é preciso defender os trabalhadores. Disse ainda que há uma semiescravidão no Brasil e no mundo, ao contar a história de um garçom que foi questionado se não ficava triste pelo fato do custo de um almoço em família no restaurante em que trabalhava ser maior que o seu salário e respondeu que não se entristecia, pois tinha salário fixo e benefícios. Cristiano comentou ainda que não vê manifestações referentes a gravação feita por Calero na conversa com Temer. Para ele, é preciso se rebelar pelo bem da coisa pública.

HOMENAGEM
O vereador Cristiano Almeida ainda parabenizou Gerson Dias e Vagner Alves, homenageados nas cidades de Muzambinho e Monte Belo, respectivamente, na última semana, com os títulos de cidadão honorário.
Cristiano falou ao colega João Pezão, que foi orador oficial do título de cidadania, e comentou que o colega (João Pezão) foi feliz em seu discurso e na síntese que fez sobre os homenageados e vereadores. Segundo Cristiano, tanto ele como o colega são sinceros em suas falas, elogiou o discurso do colega e disse que reconhece os benefícios do deputado federal Aelton Freitas e faz ressalva apenas quanto ao IFSULDEMINAS, que, para ele, foi uma conquista da Presidente Dilma.

FIDEL CASTRO – Cristiano Almeida lamentou a morte de Fidel Castro. Disse que a vida é assim, que ele teve uma vida longeva, e que foi uma pessoa que sempre lutou pelos direitos não apenas de Cuba. Cristiano disse que hoje talvez não comportasse mais o regime cubano, mas ao analisar a história, pelo lado dos Estados Unidos, também já não há necessidade do embargo econômico a Cuba, desde o final dos anos 80. O vereador disse que Cuba, dentro das Américas, é o país com menos injustiças sociais, sendo mais igualitário, com educação de qualidade e saúde pública sendo um bem de todos e de qualidade.