Balanço aponta que Minas alcançou menor taxa de homicídios dos últimos sete anos

Publicado em 06/07/2018 - geral - Da Redação

Balanço aponta que Minas alcançou menor taxa de homicídios dos últimos sete anos

Os investimentos do Governo de Minas Gerais na área de segurança trouxeram de volta para os mineiros resultados que há muitos anos não se via. A priorização do sistema de segurança pública pelo Governador Fernando Pimentel fez com que Minas alcançasse a menor taxa de homicídios dos últimos 7 anos (18,1 crimes para cada 100 mil habitantes) e Belo Horizonte, a menor taxa dos últimos 17 anos (20,7).

Com os roubos o resultado não foi diferente. Depois de seis anos seguidos de aumento, a curva de crescimento foi revertida. Para se ter uma ideia do que isso significa, vale dizer que em janeiro de 2015, no primeiro mês de gestão deste Governo, foram registrados 8.509 roubos no Estado. Em maio deste ano, último mês contabilizado pelo Observatório de Segurança Pública da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), foram 5.833. Menos 2.676 registros de roubos por mês – uma redução mensal de 31,4%.

As Bases Comunitárias Móveis implantadas na capital no último ano são exemplo de ações desenvolvidas que deram certo nos últimos anos. Com a chegada dos equipamentos, em 86 pontos da capital, nenhum cidadão ficou a mais de 4 km de distância da polícia. Situação que aumentou a sensação de segurança e também contribuiu com a queda nos índices: redução de 32% na criminalidade violenta de BH.

O balanço de todo o sistema de Segurança Pública foi apresentado nesta sexta-feira (6/7), pelas polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros e Secretarias de Estado de Segurança Pública (Sesp) e de Administração Prisional (Seap). A apresentação mostrou um pouco do que foi desenvolvido nos últimos três anos e meio para se chegar a estes resultados. Clique aqui para acessar todos os resultados.

“Estamos colhendo frutos de uma priorização do Governo da área de segurança e de um trabalho integrado e bem desenvolvido por todos os representes do sistema: Secretaria de Segurança Pública, Sistema Prisional, Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros. Somente juntos podemos chegar aos índices de criminalidade que foram apresentados aqui hoje e que são nossa maior entrega para o cidadão de Minas Gerais”, destacou o secretário de Segurança Pública e de Administração Prisional, Sérgio Barboza Menezes.

Na Polícia Militar, entre 2015 e abril de 2018, foram incluídos 5.399 novos policiais e, apenas neste ano, autorizadas 1.992 vagas para ingresso na instituição. Ao todo, 1.045 militares foram realocados da atividade-meio para a atividade-fim, e cinco novas sedes de batalhões foram inauguradas.

A PMMG também adquiriu 2.603 novas viaturas de 2015 a 2018, mediante processos de locação e aquisição, em um investimento de R$ 326 mil. Também foi feito um investimento de R$ 3,6 milhões para aquisição de 2.065 novos armamentos para a corporação, além da implementação de aplicativos de suporte ao serviço policial.  

Durante o balanço, o comandante-geral da Polícia Militar, Cel. Helbert Figueiró de Lourdes, falou da ampliação do projeto de bases comunitárias para o interior do Estado, destacando que essa ação “trouxe melhores índices e mais sensação de segurança para os mineiros”.

Na Polícia Civil, foram 1.760 novos servidores nomeados, entre investigadores, peritos, médicos-legistas, analistas e técnicos. A corporação está com um concurso em andamento para preenchimento de 76 vagas para delegado de polícia, e publicou edital para concurso de escrivães com 119 vagas. Mais de 10 mil servidores foram capacitados em cursos de ensino a distância com foco em inteligência e investigação. Mais de 440 viaturas foram entregues e outras 200 estão em fase final de aquisição.

A PCMG também promoveu a reforma e implantação de mais de 60 delegacias. Enquanto a média nacional de apuração de homicídios varia de 8 a 10%, em Minas o índice médio nos últimos três anos foi de 43% de apuração. Dos inquéritos relatados, 86% tiveram indiciamento. “A Policia Civil foi beneficiada pelo Governo Fernando Pimentel e todos os investimentos nos fortalecem para melhores resultados para o cidadão”, destacou o chefe da Polícia Civil de Minas, delegado-geral João Octacílio Neto.

Já a presença do Corpo de Bombeiros aumentou de 58 para 71 municípios mineiros entre 2015 e 2018, com a criação de 13 novas unidades. Foram feitos concursos – já realizados ou em andamento – para 1.177 novas vagas. Também foram entregues à corporação 312 novas viaturas. A operação Alerta Vermelho, com caráter educativo, realizou 16.274 vistorias entre 2015 e 2018.  

O chefe do Estado Maior dos Bombeiros, coronel. Edgard Estevo, destacou ainda a importância do lançamento do Sistema Infoscip, que faz a gestão de projetos contra incêndio e pânico no Estado. “A diminuição do tempo de análise foi enorme. O tempo médio chegou a ser de três dias com o novo sistema sendo que em datas anteriores era de 45 dias”

Prevenção à criminalidade

A Secretaria de Estado de Segurança Pública registrou uma redução de 17% no número de jovens mortos nas áreas atendidas pelos programas de prevenção à criminalidade Fica Vivo! e Mediação de Conflitos. Quatro novas unidades de prevenção foram implantadas e houve ampliação em quase 10 pontos percentuais da resolução pacífica de conflitos do Estado.

Além disso, 18 novos centros socioeducativos estão em fase de elaboração de projetos ou aguardando ordem de serviço para início das obras, e três centros e casas de semiliberdade foram entregues. Outro destaque: entre 2015 e 2018, 651 novos agentes socioeducativos entraram em exercício.

No âmbito da política sobre drogas, houve ampliação de 23 para 50 no número de instituições conveniadas na rede complementar de suporte social na atenção ao dependente químico. Ao todo, 5.300 alunos participaram de atividades de prevenção às drogas no ambiente escolar, e 2.100 professores foram capacitados. Houve, ainda, um aumento de 52,8% no número de conduzidos, presos ou recapturados por meio do 181 Disque Denúncia Unificado entre 2015 e 2017.

Sistema Prisional

No âmbito da administração prisional os números também são positivos. O Governo de Minas Gerais conseguiu ampliar o número de parcerias com empresas privadas e instituições públicas garantindo, assim, que mais de 19 mil presos trabalhem, colocando o Estado em posição de destaque no cenário nacional. O crescimento nos últimos três anos do número de presos em atividades laborais foi de 51%. As parcerias, tão importantes para gerar oportunidade de emprego ao custodiado, cresceram 89%, passando de 239 para 430 convênios.

Os dados educacionais do sistema prisional também são animadores. Quase metade das 199 unidades prisionais do estado possui o segundo endereço de uma escola estadual. Isso possibilita que 8.549 presos estudem e possam dar continuidade ao sonho de conquistar diplomas, sejam eles de educação básica, profissionalizante ou até mesmo do ensino superior. Deste total, 1.546 cursam o ensino superior.

O servidor também foi contemplado no Governo Fernando Pimentel. Foram mais de 11 mil promoções ou progressões de carreira, além da nomeação de 9.455 efetivos. Por meio da Academia do Sistema Prisional mais de 13 mil servidores frequentaram algum dos 26 cursos oferecidos.

O sistema também recebeu 220 veículos para a sua frota e foram investidos mais de R$18 milhões em armamentos e equipamentos de proteção individual. Mais de 20 sistemas foram desenvolvidos pela equipe da Tecnologia da Informação para facilitar os inúmeros processos que tramitam no ambiente prisional.