A Folha Regional - Início - Espaço Livre

GRUPO GRÃO VERDE - Empresa dos irmãos Montéver cresce e amplia mercado na região

Em 08/07/2018 - Espaço Livre - Da Redação

Os irmãos Claudinei e Valdinei Montéver são os grandes empreendedores da empresa Grão Verde, com lojas em Muzambinho, Cabo Verde e Botelhos. O trabalho da empresa na comercialização do café, bem como a realidade do produto no mercado, foram temas de ampla entrevista, que contou com a participação do gerente Evandro Martins.

Veja +

Uma boa sincronia

Em 15/01/2018 - Espaço Livre - Da Redação

No dia 10 de dezembro, desde 1948, é comemorada a assinatura da Declaração Universal de Direitos Humanos, um documento legal com vigência em muitos países que além de se tornarem signatários fizeram que o conteúdo do mínimo ético da humanidade constante deste documento se tornasse também texto constitucional no âmbito de seus territórios.

Veja +

PATRIOTISMO

Em 29/01/2017 - Espaço Livre - Da Redação

Segundo se aprende, sobretudo, na escola, já nos primeiros anos, PATRIOTISMO significa amor à pátria, respeito à bandeira, ao hino que a simbolizam e ao país, onde se dão os primeiros passos. Integram, também, o PATRIOTISMO o orgulho pelas suas instituições e a defesa contra o ataque e menosprezo venha de onde vier, com o sacrifício da própria vida, se necessário for.

Veja +

Saúde em Muzambinho? Vai bem!!!

Em 11/11/2016 - Espaço Livre - Da Redação

TRINDADE ESCUDERO ESTAVA INSCRITO PARA USAR A TRIBUNA LIVRE DA CÂMARA MUNICIPAL, MAS NAQULE DIA QUANDO CHEGOU À SUA CASA SENTIU-SE MUITO MAL COM TONTURAS E ASSIM PERMANECEU POR MUITAS HORAS, NÃO PODENDO, ASSIM, IR À CÂMARA PARA RELATAR O QUE VEM ACONTECENDO COM OS PACIENTES QUE NECESSITAM DE CONSULTAS ESPECIALIZADAS FORA DE MUZAMBINHO. DESSA MANEIRA, TRINDADE RESOLVEU PUBLICAR ESSE RELATO PARA QUE O POVO MUZAMBINHENSE TENHA CONHECIMENTO DE QUE A SAÚDE EM MUZAMBINHO NUNCA FOI BEM NO MANDATO DO PREFEITO IVAN. ESTE É O RELATO:

Veja +

Câmpus Muzambinho realizou 1º "Curso de Cães de Detecção" com agentes de segurança pública de todo sudeste

Em 16/06/2015 - Espaço Livre - Da Redação

Entre os dias 09 a 13 de junho, o IFSULDEMINAS - Câmpus Muzambinho realizou o seu 1º Curso de Cães de Detecção. O evento reuniu cerca de 35 participantes, entre agentes de segurança pública de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro.

Veja +

A mentira e suas consequências

Em 12/10/2014 - Espaço Livre - Da Redação

A mentira é algo tão comum para muitos, que em nosso calendário existe até um dia designado para ela: o dia 1° de abril. Infelizmente, por mais que uma mentira, a princípio, pareça ter seu crédito, a grande verdade é que seu fim é desastroso. Para ilustrar o tema, conta-se que numa universidade, dois amigos que cursavam medicina iam muito bem nas provas e trabalhos da faculdade. No final do semestre ambos tinham notas entre 9 e 10. Havia uma prova final no curso de Química, mas, a dupla estava tão confiante nas suas notas que resolveram passar um final de semana festejando com amigos de uma outra universidade. A festa foi grande e também a ressaca. Ambos dormiram tarde demais e chegaram atrasados na universidade na Segunda, dia da prova final. Ao invés de tentar fazer o exame, a dupla procurou o professor depois com uma história que inventaram. Os dois afirmaram que o carro deles teve um pneu furado e ficaram sem pneu de reserva. Segundo eles, demorou para concertar o pneu e isso resultou no atraso deles para o exame. O professor considerou a história dos dois e concordou que daria uma segunda chance de fazer o exame no dia seguinte. Ambos estudaram para valer aquela noite e foram ao exame no dia seguinte na hora marcada. O professor colocou ambos em salas separadas e os entregou o exame. Quando começaram o exame, perceberam que a primeira pergunta era uma questão fácil e valia cinco pontos. Animados, responderam à primeira pergunta e viraram a página. Na segunda página havia apenas uma pergunta – “Qual dos quatro pneus furou?” A resposta valia 95 pontos. Como está claro, a mentira traz constrangimentos. Quantas pessoas já foram beneficiadas em algum negócio ou projeto usando a falsidade, que é irmã gêmea da mentira, e quantas já foram prejudicadas por ela. Por que será que muitos tem o hábito de mentir?

Veja +

Construindo o país do futuro

Em 11/07/2014 - Espaço Livre - Da Redação

* Por Maurício Endo Em 1900, apenas 13% das pessoas viviam em áreas urbanas. Hoje, as cidades são responsáveis   por mais da metade da população mundial e este número deverá aumentar para 70% até 2050. Diante da rápida urbanização, a infraestrutura se torna um foco de preocupação para os líderes que precisam se esforçar para criar espaços mais habitáveis     e produtivos, ou seja, cidades sustentáveis.Segundo a pesquisa The Global Competitiveness Report 2013 – 2014, realizada pelo World Economic Forum, o Brasil ocupa a 114ª posição em um ranking de 144 países em investimentos de infraestrutura. O país gasta cerca de 2% do PIB, ficando bastante atrás de outras nações, que chegam a aplicar até 10%. Com uma qualidade de infraestrutura abaixo da média mundial, seria necessário o Brasil investir, no mínimo, 4% para garantir um patamar desejável de desenvolvimento.Existe um consenso emergente de que uma quantia maior deve ser gasta em infraestrutura, embora alguns governos ainda estejam relutantes em aumentar seus gastos no setor. Por isso, o desafio mais importante e essencial para atrair investimentos é melhorar o fluxo de projetos, transformando um robusto pipeline de desenvolvimento em compras, construção e, finalmente, em operações.Desde 2004, com a aprovação da lei 11.079, de 30 de dezembro de 2004, conhecida como a “Lei de PPP”, foram instituídas normas gerais para licitação e contratação de parceria público-privada no âmbito dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, e os governos passaram a assinar contratos de concessão subsidiados nos setores de águas, infraestrutura social e transportes.  A cada ano, as PPPs estão aumentando no Brasil, e o que se espera é que essas parcerias possam melhorar a realidade das cidades.

Veja +

Lei Seca: eficácia e validade

Em 11/07/2014 - Espaço Livre - Da Redação

Por Maria Carolina Padovani e Marco Lívio Trajano dos Santos “Art. 306 CTB: Conduzir veículo automotor, na via pública, estando com concentração de álcool por litro de sangue igual ou superior a 6 (seis) decigramas, ou sob a influência de qualquer outra substância psicoativa que determine dependência: (Redação dada pela Lei nº 11.705, de 2008). Penas - detenção, de seis meses a três anos, multa e suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor. Parágrafo único. O Poder Executivo federal estipulará a equivalência entre distintos testes de alcoolemia, para efeito de caracterização do crime tipificado neste artigo.”Desde sempre é fato conhecido que consumir bebidas alcoólicas e dirigir, são ações incompatíveis. Volante e bebida não combinam! Para proteger os cidadãos de motoristas irresponsáveis, o governo adotou uma medida adequada, entendendo que o rigor da penalidade inibiria o problema com motoristas alcoolizados, colaborando para a ordem social. A Lei Seca tem dado certo pela combinação de dois fatores que assustam o brasileiro: perder dinheiro com a multa de R$ 1.915,30, inicialmente, e perder a liberdade ao ser punido com a detenção.Muitos acidentes de trânsito ainda são causados por essa combinação letal, porém, após a implantação da Lei Seca, os índices de acidentes vêm diminuindo. Antes da lei, o Código de Trânsito definia como crime conduzir veículo com concentração de álcool por litro de sangue igual ou superior a seis decigramas. Com a lei, passou a ser crime dirigir sob o efeito de álcool em qualquer quantidade.

Veja +

Kodak: as ameaças de um negócio

Em 24/01/2012 - Espaço Livre -

Por Marcos MoritaA centenária Kodak, outrora líder inconteste do mercado fotográfico, pediu concordata na semana passada com o objetivo de sanar uma dívida de quase sete bilhões de dólares. Vítima do próprio sucesso, não conseguiu realinhar seu modelo de negócios, sucumbindo à tecnologia digital. Apesar dos esforços no lançamento de novos produtos, venda de ativos e corte de despesas, o fato é que sua imagem está e sempre estará ligada a fotografia analógica, tal como conheceram os amantes da fita cassete, do vinil e do rádio de gaveta. Uma época mais romântica, a qual começava com a escolha da marca do filme, número de poses - 12, 24 ou 36 - assim como a asa para os mais entendidos. Inseri-lo na máquina exigia também certa habilidade. Em uma viagem, não raro tínhamos que procurar pontos de venda de filmes, quase tão banais quanto encontrar cigarros. A primeira missão na volta era revelá-los, cuja empolgação era quase igual a do embarque. Enfim o grande dia, reunir a turma para rir e compartilhar os bons momentos vividos. Em todas as etapas, desde a compra do filme, revelação e impressão das fotos, a marca Kodak estava presente. Seu domínio e verticalização era tamanho, que acredito poucos consigam citar o nome de mais de um concorrente.

Veja +

As pedras preciosas de Muzambinho

Em 09/03/2010 - Espaço Livre - Helder de Melo Moraes

Não é necessário ser profundo conhecedor da história do Brasil para saber a relação das pedras com estado de Minas Gerais. Desde a exploração dos Portugueses que retiraram do solo mineiro, diversas pedras preciosas, mais que suficiente para pagar a dívida com a Inglaterra, até as pedras que sustentam as belas cachoeiras localizadas no estado, sem falar nas pedras que pavimentam as ruas de Ouro Preto, Tiradentes, São João Del Rei, cidades preservadas pelo patrimônio histórico mundial – UNESCO, todas, na verdade são preciosas – é claro que cada uma dentro de um contexto.A presença das pedras em Minas é tão importante que da até nome a algumas cidades como Itabira, onde nasceu o poeta Carlos Drummond de Andrade, no idioma indígena quer dizer pedra brilhante. Pedra Azul na região nordeste do estado, Diamantina, terra do ex- presidente Jucelino Kubstchek, a cidade tem este nome por causa do diamante.

Veja +

1 2 »