COLUNA MG (12 de Julho)

Publicado em 12/07/2018 - coluna-minas-gerais - Da Redação

COLUNA MG (12 de Julho)

Sete Lagoas debate proteção à criança

            Diretores de Escolas Municipais de Sete  Lagoas participaram de  um evento cujo  tema principal foi o projeto "Resgate a Infância"  idealizado a partir dos  eixos "políticas públicas",  "educação" e "profissionalização". O principal  objetivo é provocar nos  municípios envolvidos  uma ampla discussão entre sociedade civil e instituições governamentais  sobre a importância de  medidas que garantam  às crianças e adolescentes, proteção e educação  necessárias para afastá -los do trabalho infantil.  Atividades lúdicas, palestras, acordos de cooperação e outras ações fazem  parte do programa. (Boca do Povo - Sete Lagoas)

 

Arcos promove 3º Festival Gastronômico

            O Festival Gastronômico em Arcos é um sucesso e a cada ano está melhor. Em 2016 houve seis participantes; em 2017 já foram nove e neste ano são 14. A iniciativa é da Associação Comercial e Empresarial de Arcos (ACE), da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). O Sicoob União Centro-Oeste é o apresentador do festival, que é apoiado pela Prefeitura, Sorvetes Quatro Estações, Embalaklim, Gelo Fresh ICE e Expand. Segundo a gerente-administrativo da ACE/CDL em Arcos, Gilma Gondim, o objetivo é desenvolver o comércio noturno de entretenimento para as famílias e jovens de Arcos. (Correio Centro-Oeste - Arcos)

 

Projeto de música chega à Congonhas

            Depois de passar por duas das mais importantes cidades do Cento-Oeste mineiro, Pará de Minas e Itaúna, o projeto Música sem Barreiras II atinge a metade de sua segunda temporada e chega à região Central do Estado, com a proposta de realizar a circulação e o intercâmbio artístico em outros dois municípios: Congonhas e Itabirito. Em Congonhas, o projeto aconteceu nesta quinta-feira, 12, e, em Itabirito, será em 11 de agosto. O Música Sem Barreiras II é uma das propostas culturais mais fundamentais e abrangentes da Fundação de Educação Artística (FEA). O projeto, iniciado no começo de junho, vai acontecer até 14 de agosto. (Estado Atual - Conselheiro Lafaiete)

 

Divinópolis recebe workshop Melodia do Afeto

            Divinópolis receberá no dia no dia 21 de julho de 2018, de 08h30 às 11h30, o  Workshop Melodia do Afeto - semiótica musical nas relações e na Psicanálise. O evento acontecerá no Laboratório Central, localizado na praça da Catedral no centro da cidade. A música e a Psicanálise são conhecimentos universais, moderadoras de afetos, conflitos e invariavelmente indicam-nos possibilidades de descobertas que têm efeitos sobre nossas doenças, preocupações e sofrimentos. (Gazeta do Oeste - Divinópolis)

 

Valadarenses se destacam em Mini Maratona

            Com a participação de aproximadamente 1.000 atletas de diversas cidade do Brasil, foi realizada, na vizinha cidade de Timóteo, a 18ª Minimaratona Ecológica Regional Leste. O evento, que já se tornou uma atração nacional, foi mais uma vez realizada pela Associação de Maratonistas de Timóteo (AMT). Valadares foi representada pela Equipe Luiz Souza de Atletismo, composta por 17 atletas de diversas faixa etárias. No final da prova os valadarenses tiveram excelente desempenho, chegando a conquistar vários pódios. (Diário do Rio Doce - Governador Valadares)

 

Projeto Usina de Sonhos apresenta espetáculo

            As crianças e jovens atendidos pela Associação Cultural Projeto Usina de Sonhos se apresentam na próxima sexta-feira, 13, às 20h, o espetáculo de balé "O Circo". A apresentação vai acontecer no Teatro Sílvio de Matos, em caráter beneficente, com ingressos vendidos a R$ 10. No espetáculo estão incluídas a alegria e a diversão do circo, com várias coreografias executadas pelas alunas de balé do Projeto Usina de Sonhos. A produção é assinada por Bel de Abreu, com direção artística, criação de coreografias e coordenação da bailarina e professora Luciana De Marco. (Folha Povo Itaúna)

 

Projeto estimula reciclagem

            Mais de cinco mil pilhas foram recolhidas e descartadas corretamente por estudantes, diminuindo o impacto negativo do material no meio ambiente. Este é o resultado do projeto Grana Verde, organizado pelo Núcleo de Empreendedorismo (Nempe) da Faculdade de Engenharia da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), em parceria com as Empresas Juniores da instituição. A iniciativa visa estimular, nas escolas, a educação ambiental e a preservação do planeta. Em sua quinta edição, quatro instituições de ensino de Juiz de Fora participaram da iniciativa, cuja entrega da premiação ocorreu nesta quarta-feira, 11, no Colégio de Aplicação João XXIII. Durante duas semanas, estudantes se mobilizaram em uma grande corrida para arrecadar e descartar corretamente o material químico. (Tribuna de Minas - Juiz de Fora)

 

Hospital de Santos Dumont é certificado

            Em solenidade realizada na sede da Cemig em Belo Horizonte, o Hospital de Misericórdia de Santos Dumont representado por seu tesoureiro José César Fontes, recebeu o certificado que garante a inclusão da unidade hospitalar no Programa Energia Inteligente da Cemig, o qual tem parceria com o governo de Minas Gerais. O programa será implantado na entidade por fases, sendo nesta primeira a contemplação de uma Auto Clave e secadora, equipamentos esses modernos, com maior capacidade,  máquinas rotativas, com controle de tempo e temperatura automática. (Jornal Panorama - Santos Dumont)

  

DAS DERROTAS E VITORIAS 

Stefan Salej 

A semana que passou foi uma desgraça para o brasileiro. A produção industrial caiu significativamente por causa de greve dos caminhoneiros. A inflação, que já estava controlada, subiu. O real continua se desvalorizando, ou seja, no popular, o dólar subiu. E o desemprego não melhorou em nada. A expectativa de crescimento do Produto Interno Bruto caiu, de novo, em função da referida greve, e as exportações também. 

E a cereja no bolo da desgraça foi a eliminação da seleção canarinha pelos  belgicanos (como os chamava o saudoso Kafunga). Sem comentários,  a não ser que um time bilionário como esse fez jus ao seus salários: jogou mal e não teve responsabilidade alguma com a camisa que vestia. A responsabilidade deles é com seus clubes e patrocinadores. O Brasil que se dane. E ainda confirmam Tite para técnico da Copa do Catar. Aliás, o que você pode esperar de uma CBF cheia de escândalos e cujo único dirigente de que me lembro hoje é dono de um helicóptero que transportava 500 kg de droga e não sabia de nada. Provavelmente também  não de sabe nada agora. 

Enquanto o futebol era o tema, e o melhor meme das redes foi aquele que dizia que agora vamos voltar a trabalhar na terça-feira, desenrolava-se uma das maiores derrotas  no cenário industrial brasileiro.  Se alguma coisa positiva  ficou do regime militar, foi a criação da EMBRAER em 1969, um dos maiores exportadores brasileiros. A criação de joint venture com a Boeing, em que a norte-americana tem absoluta maioria, faz a Embraer desaparecer como empresa brasileira. Virou filial obediente da gigante norte-americana. 

A questão que fica não é  por que se fez o negócio agora, no final do governo fraco e desmoralizado, e praticamente sem possibilidade de não fazer, mas por que deixaram chegar a essa situação. Há anos atrás tiveram a  oportunidade de fazer aliança com a AIRBUS, que inclusive tem fábrica de helicópteros em Minas, e não fizeram. Esperaram enfraquecer a empresa ao ponto de ser entregue à Boeing pelo valor equivalente à metade do que uma siderúrgica do Rio de Janeiro deve ao Banco do Brasil e à Caixa Econômica. Portanto, dinheiro não é a questão, a questão é que, ao contrário dos próprios Estados  Unidos, Alemanha, França e outros, nós vendemos a melhor empresa de tecnologia e viramos filial tecnológica.

Como a Bloomberg escreveu: a Boeing não quer a fábrica, quer os 400 engenheiros da EMBRAER e sua tecnologia. 

Bem, do lado das vitórias, fica a notícia de que Minas passa a produzir lúpulo, ingrediente fundamental para produzir cerveja. Algo de mineiro , mais importante do que o anúncio da Fiat de que, com pesados incentivos, deve modernizar os novos modelos, prometendo emprego que na verdade só existirão se a fábrica for  efetivamente competitiva em tecnologia. E que o Governo de Minas vai pagar em três vezes o salário dos seus funcionários, enquanto dá incentivo à montadora. Vai entender o que esta por trás de tudo isso. Podem ser ou  não eleições.

 

STEFAN SALEJ, consultor empresarial, foi presidente do Sistema Fiemg e Sebrae MG