COLUNA MG (11 de Outubro)

Publicado em 11/10/2018 - coluna-minas-gerais - Da Redação

COLUNA MG (11 de Outubro)

COLUNA MG / Rede de Notícias do Sindijori MG

www.sindijorimg.com.br


Receita faz operação contra contrabando

A Receita Federal, em parceria com a Polícia Rodoviária Federal, deram início a "Operação Caminho Certo 2" no Sul e Sudoeste de Minas. O objetivo da operação é verificar se as mercadorias foram importadas e se estão sendo comercializadas com o devido documento legal, ou seja, Nota Fiscal. Até o momento, foram apreendidos R$ 500 mil em mercadorias, incluindo 1 ônibus e varios dvds, bijouterias, vestuários, perfumes e eletrônicos. De acordo com o Delegado da Receita Federal, auditor-fiscal Michel Lopes Teodoro, não há data para finalizar a operação devido a grande importância do combate ao crime organizado em toda a sua esfera, seja ele o contrabando ou descaminho. (Jornal da Cidade - Poços de Caldas)

 

Prefeitura investe R$ 35 mi em Saúde

De janeiro a agosto deste ano, a Prefeitura de Araxá investiu 18,63% da receita do município no setor da saúde, enquanto que o estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal é de 15%. Nos dois primeiros quadrimestres do ano o investimento é de R$ 35,3 milhões. Segundo a Secretária, Diane Dutra, apesar das dificuldades do país na área da saúde, e em Araxá, mesmo com a falta de repasses de recursos de obrigação do governo do Estado, a Administração Municipal tem garantindo a manutenção de todos os serviços funcionando normalmente e aumentando, inclusive, a resolutividade diária na prestação dos serviços. (Jornal a Voz de Araxá)

 

TJMG instala Cejusc

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) inaugurou o Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc), no Fórum Senador Magalhães Pinto, em Arcos, no último mês. A cerimônia contou com a presença da 3ª vice-presidente do TJMG, desembargadora Mariangela Meyer, e da juíza diretora do Foro e coordenadora do Cejusc, Juliana de Almeida Teixeira Goulart, que fizeram o descerramento da placa de inauguração. O Centro inaugurado, que irá concentrar as audiências de sessões processuais e pré-processuais de conciliação, mediação e também os serviços de atendimento de orientação ao cidadão, terá como coordenadora a juíza de direito Juliana Goulart. (Correio Centro-Oeste - Arcos)

 

Prefeitura e Arpa assinam convênio

O prefeito de Divinópolis, Galileu Machado, assinou na tarde desta quarta-feira, 10, no Centro Administrativo, um termo de comodato com a Associação Regional Ambiental (Arpa) para utilização do castramóvel. A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) aguarda a licença ambiental para a unidade móvel começar a atender os bairros e zona rural do município. De acordo com o convênio, o castramóvel fornece estrutura adequada para os procedimentos de contracepção de cães e gatos. (Gazeta do Oeste - Divinópolis)

 

Contratações de jovem aprendiz são poucas

Apesar da previsão legal para que os jovens tenham a chance de ingressar no mercado, sem experiência e sem abandonar as salas de aula, o percentual de contratações via Lei de Aprendizagem é muito menor do que o universo em potencial. Em Juiz de Fora, 1.031 aprendizes foram admitidos no primeiro semestre deste ano. O número representa cerca de 48% das 2.148 contratações realizadas em todo o ano passado, conforme o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Segundo o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), a extração do potencial não é feita por município, apenas por estado. Em Minas, das 93.973 vagas em potencial, apenas 22,56% ou 21.198 estão preenchidas por jovem aprendiz, considerando o primeiro semestre deste ano. (Tribuna de Minas - Juiz de Fora)

 

Metodologia dá autonomia em crianças

Os professores do ensino fundamental das escolas municipais de Guaxupé completam 240 horas de formação no Proepre, Programa de Educação Infantil e Ensino Fundamental, desenvolvido por mestres e doutores que integram a equipe de profissionais do Laboratório de Psicologia Genética da Unicamp, sob a orientação da professora Orly Z. Mantovani de Assis. Esta formação, segundo a secretária municipal de Educação, Sandra Costa, tem contribuído para mudanças nas práticas educacionais destes professores, possibilitando avanços significativos na formação de alunos intelectual e moralmente autônomos. (A Folha Regional - Muzambinho)

 

Portela homenageia Clara Nunes

"O único lugar que sei que serei sempre lembrada é na Portela", dizia a mineira de Caetanópolis Clara Nunes, em fala reproduzida no documentário "Clara Estrela" (2017), de Susanna Lira e Rodrigo Alzuguir. Mal sabia a cantora que, décadas depois, ela seria tema da escola de samba do coração, a que mais venceu o carnaval carioca, com 22 troféus conquistados.  Para celebrar os 95 anos da agremiação, o tema não poderia ser mais oportuno. Segundo o presidente da escola, Luis Carlos Magalhães, era um desejo antigo da comunidade portelense. Em Caetanópolis, a expectativa não poderia ser maior. O município tem um projeto audacioso para o seu tamanho: viver do turismo cultural. Por ser berço da indústria têxtil mineira e terra natal de Clara Nunes, a cidade quer aumentar o fluxo turístico da região, agregando com Cordisburgo e Sete Lagoas um número expressivo de turistas. (Sete Dias - Sete Lagoas)



DA RESSACA DEMOCRÁTICA

STEFAN SALEJ

 

Quem ganhou, ganhou, quem perdeu, perdeu. As eleições são simples assim. Mas, nas deste ano, todas as análises no dia subsequente não têm a mínima importância. Não é por causa de segundos turnos, mas porque a complexidade criada no cenário político brasileiro após estas eleições só é superada pelo período pré-eleitoral. Esta transição que vivemos, de um modelo político distorcido para um novo modelo cujos contornos estão em formação, é um misto de incerteza, medo, receio e otimismo que  nos leva a mais incerteza.

Comecemos pela eleição de parlamentares  em todos os níveis, que representam tudo com exceção de alguma mudança no modelo político que nos trouxe para esta crise ao mesmo tempo política, econômica e sobretudo social. Nada mudou. E ninguém disfarça. As cabeças do desastre, de alianças espúrias, de cargos com porteiras fechadas para benefícios ditos partidários, mas na realidade pessoais, continuam no cenário parlamentar rindo na nossa cara, dizendo: o povo nos escolheu. Isso é democracia.

O povo brasileiro, do qual 30 milhões não tem emprego ou estão sub empregados, e com 11 milhões que ainda não sabem escrever e ler, sem falar nos que não têm agua, esgoto, moram em favelas e seus filhos não têm escola, é que elege. E esses políticos, na verdade, de boca cheia, falando de saúde, educação, e emprego, trabalharam nos últimos 16 anos para manter esse estado de coisas, para poder manipular e se re-eleger de novo. Nós não temos políticos falando de forma clara e honesta, forças políticas que têm nestes anos trabalhado para que diminua a ignorância do eleitor e aumente a sua inserção social. Quanto mais ignorante e dependente de ações sociais do estado permanece o eleitor, mais feliz fica o político no poder.

O paradoxo de nossas democracia também é a quantidade de candidatos. É espantoso seu cinismo, vendendo ao eleitor algodão doce que na hora de comer se transforma em jaca. E estarrecedora a falta de conhecimento dos reais problemas que os eleitores enfrentamos. Nesse mar de ignorância há exemplos de todos os tipos. E a maior delas todas é o deputado Tiririca, que ri na nossa cara dizendo que nos enganou porque, ao contrário do que havia anunciado, é candidato de novo e não vai renunciar a uma boca boa dessas de ser politico.

Quanto tempo o país aguenta esse modelo e se a divisão, com ódio crescente entre as classes sociais, que esta eleição provocou, vai  crescer, só os dias que vêm vão mostrar. Vamos precisar de muita paciência para que o segundo turno, que dizem ser uma nova eleição, talvez traga mais debates, mais projetos, mais discussões e um futuro menos sombrio. Não no final de contas dizem que Deus é brasileiro. Está na hora de acreditar nisso.

 STEFAN SALEJ, consultor empresarial, foi presidente do Sistema Fiemg e Sebrae MG