Com a SMC, Cooxupé expande atuação no mercado de cafés especiais

Publicado em 24/01/2018 - agronegocio - Da Redação

Com a SMC, Cooxupé expande atuação no mercado de cafés especiais

Reconhecida internacionalmente pelo fornecimento de café verde tipo arábica de alta qualidade, a Cooxupé expande seus horizontes com atuação promissora também no mercado de cafés especiais.  Somente em 2017, a cooperativa mineira cresceu 26% na comercialização deste produto diferenciado. 

Para cuidar deste nicho de mercado, a Cooxupé mantém a SMC – Specialty Coffees. Criada em 2009, esta empresa - controlada pela cooperativa - comercializa e exporta cafés especiais das regiões do Sul de Minas, Mogiana e Cerrado. Para atender cada vez mais as demandas globais e trazer valor agregado aos mais de 14 mil cooperados da Cooxupé, a SMC desenvolveu em 2016 o programa “Cafés Especiais”, em que os degustadores do setor de Classificação da Cooxupé, ao identificar uma amostra de bebida diferenciada, enviam para a Classificação da SMC. Isto porque cafés diferenciados apresentam uma tabela de pontuação, que começa entre 80 e 82 pontos, e segundo as características (aroma, sabor, acidez, dentre outras) ganham um perfil e pontuação adequada. Diante disso, a equipe de Comercialização da SMC entra em contato com o (a) produtor (a) a fim de comercializar o café como um produto de valor agregado. 

Foi por meio deste programa  que a SMC conseguiu inscrever quatro produtores de Nova Resende, cidade do sul de Minas, no mais importante concurso de qualidade de cafés especiais: o Cup of Excellence, realizado pela BSCA (Associação Brasileira de Cafés Especiais) e pela ACE (Aliança pela Excelência em Café, na tradução livre). Destes cafés selecionados, foi possível conquistar a fase internacional, alcançando a 20ª posição na categoria Natural. Para se ter uma ideia, cada saca de 60kg deste café está estimada em R$ 2 mil. Na mesma categoria, o primeiro lugar, produzido no Espírito Santo, é estimado em mais de R$39 mil a saca. Na categoria Pulped Naturals (Cereja Descascado), o café que conquistou primeiro lugar, vindo da região do Cerrado Mineiro, alcançou preço recorde na história do concurso, atingindo valor estimado de R$ 55 mil a saca.

Além disso, o programa “Cafés Especiais” levou para quatro núcleos da cooperativa palestras do professor da UFLA (Universidade Federal de Lavras) Flávio Borém. Na ocasião, o especialista revelou práticas e dicas de como conquistar cafés de alta qualidade. 

Osvaldo Bachião, membro do conselho administrativo da Cooxupé e diretor da SMC, afirma  que a empresa deve continuar crescendo, além de incentivar o cooperado a se aprimorar para ter mais acesso e competitividade neste nicho de mercado. “Ao conseguir produzir lotes especiais, o produtor necessariamente irá melhorar toda sua safra. O mundo dos cafés de qualidade está sendo apresentado aos cooperados da Cooxupé e eles têm facilidade em assimilar as tecnologias envolvidas, então com certeza teremos crescimento significativo nos próximos anos”, declara.