A Voz de Todas - Edição 1094

Publicado em 15/06/2012 - vonzico - Ivon W. Vieira

PENSAMENTO DA SEMANA – “O Senhor é o meu Pastor, nada me faltará” (Salmos 23)

E AS TARDES DANÇANTES, ACABARAM DE VEZ? – Outrora a mocidade, mormente nos fins de semana tinha onde ir, com brincadeiras dançantes no Clube Recreativo e Automóvel Clube, mas de uns tempos a esta parte, sobra mesmo são os “botecos” e nada mais. Vamos dar uma guinada a respeito? Não existe na Prefeitura um departamento para tratar de lazer e esportes? Quem sabe estamos por fora, não é mesmo?

E OS RODEIOS ACABARAM DE VEZ? – Em tempos imemoriais tínhamos desfile de cavaleiros, carros-de-bois e até de automóveis e veículos antigos, quando a cidade ficava engalanada e todos vibravam com as novidades, mas de uns tempos a esta parte tudo ficou para trás. Lembram das procissões onde cavaleiros compareciam? Os carros de bois, carroças, jarretes, não existem mais? Muzambinho sempre foi uma cidade festeira, mas parece que tudo acabou ou estamos por fora dos acontecimentos? Com a palavra de quem de direito!

E AS TARDES ESPORTIVAS? – Outrora o Estádio Antônio Milhão e mesmo em toda zona rural, durante os feriados e fins de semana, tínhamos grandes jogos de futebol, e hoje não se temos quase nada, e se temos, ninguém informa ou anuncia. Vamos voltar aos bons tempos? Temos tudo, mas nada acontece! Ou está faltando propaganda?

LEMBRAM DOS DESFILES DE CAVALEIROS, DE AUTOMÓVEIS ANTIGOS? – Que dá uma saudade enorme, não há dúvida! A cidade ficava em polvorosa, em todos os lugares comentava-se sobre tais acontecimentos, mas de agora nada se fala, e mormente a juventude, nos fins de semana, não têm para onde ir, o que é lamentável sob todos os aspectos. Acorda Muzambinho, vamos voltar aos áureos tempos? Na nossa juventude tudo era mais atuante e hoje tudo “passa em branco”, a não ser ouvir rádio ou ver televisão, o que é muito pouco para uma cidade que outrora foi referência na região e quando se falava em Muzambinho, era um orgulho só para todos nós. Dizem que quem vive do passado é museu, mas que dá uma saudade não há a menor dúvida. Alô autoridades municipais, aguardamos notícias e providências, ou estamos pedindo muito? Que tal criar uma Secretaria somente para tal fim? Potencial temos, o que falta e vontade, ou estamos por fora e errados?

A ERA DOS PARALELEPÍPEDOS JÁ PASSOU, OU NÃO? – Moramos na esquina da Rua Tiradentes, que é calçada com paralelepípedos e sentimos quando passa algum veículo o barulho ensurdecedor e trepidação, razão pela qual insistimos juntos às autoridades municipais para que pelo menos façam um estudo para que tal logradouro seja asfaltado. É pedir muito? Aguardamos notícias. Precisamos caminhar com o progresso, e cada coisa em seu tempo!

VISITA DE FAMILIARES – Feliz é o ser humano que mantém um padrão de amizade com parentes e com prazer os recebe em casa, e tal dádiva recebemos de nossos saudosos pais, pois sua casas sempre recebeu e bem, todos que por lá passavam, e nós agora, continuamos no mesmo diapasão, e nossa residência sempre estará de portas abertas para receber amigos e parentes. Benito Tardeli e nossa sobrinha ida nos deram o prazer de uma visita por alguns dias e a alegria permaneceu em nosso lar por grandes momentos.

PIADA DA SEMANA –
Andamos meio fracos em piadas, mas agora recebemos de nossa filha Iara Lúcia um livro de piadas, e vamos a partir da próxima edição selecionar as melhores, pois chega de tristezas e vamos rir um pouco, pois os entendidos dizem que “rir é um grande remédio”, e devemos bebê-lo sempre, pois “tristezas não pagam dívidas”.