O mato é a vida da terra

Publicado em 21/11/2016 - vitor-hugo - Da Redação

O mato é a vida da terra

Ao observarmos um terreno abandonado, desgastado pelos efeitos da erosão e imprestável para a agricultura ou mesmo para a pecuária, podemos tirar lições preciosas sobre os recursos da natureza, na preservação da vida. Antes que tudo se transforme em deserto, a natureza rebelada reage em busca do restabelecimento de uma floresta cheia de vida. As espécies vegetais não virão por acaso, em cada metro quadrado de solo superficial existem centenas de milhares de sementes de todo tipo de ervas, há muitos anos, ali dormentes aguardando a oportunidade de germinar, mas nem todas germinam, porque elas obedecem uma sucessão, primeiro as mais resistentes como a guanxuma ou vassoura prata, o capim barba-de-bode, o carrapicho e assim cada espécie irá ocupar o pedaço de terra que achar mais propício. A guanxuma ou vassoura prata vai cumprir o seu papel de perfurar as lajes adensadas do solo e perderá espaço para outra espécie que prefere o solo menos compactado, assim as pioneiras vão desparecendo dando espaço para os pequenos arbustos e outras ervas rasteiras e trepadeiras sucessivamente, até que o solo ofereça condições de desenvolvimento das espécies de árvores de pequeno, médio e grande porte, e assim a vida vai se restabelecendo nesta intrincada rede de sucessões, até a formação de uma nova mata. Este ciclo de vida é longo, são dezenas de anos com variações conforme as condições de solo e clima de cada região que serão mais ou menos propícias ao desenvolvimento da flora e fauna microbiana do solo, responsável pela decomposição da matéria orgânica e sustentação de uma grande diversidade biológica. Os insetos como lacraias, centopeias, besouros e mosquitos vão depositar seus ovos nas frestas dos troncos em decomposição onde a água se acumula, surgirão então os anfíbios e os pássaros que devoram as larvas e trazem sementes frutíferas nativas e animais que predam os pássaros e se alimentam de larvas, lesmas e minhocas encontradas na matéria orgânica. A intensidade da pressão em favor da vida é dinâmica, tanto quanto possível, para restabelecer os estragos causados pelo homem. Como podemos ver, desde os microrganismos até os animais superiores existem uma interação de mútuas relações, com um constante fluxo de energia entre todos seres vivos, em busca de equilíbrio que nos possibilite alcançar um mundo melhor. Não é tarefa fácil, mas também não é impossível. A natureza tem a seu favor o fator tempo que conserta tudo sem pressa, porque a pressa é inimiga da perfeição.

Vitor Hugo do Nascimento / Muzambinho
Técnico do ex-IBC / E-mail: [email protected]