Santa Casa de Poços bate recorde de cirurgias bariátricas

Publicado em 15/01/2019 - saude - Da Redação

Santa Casa de Poços bate recorde de cirurgias bariátricas

Nos últimos anos, a Santa Casa de Poços de Caldas se tornou uma grande referência no que diz respeito a cirurgias de redução de peso. Desde 2013, o Hospital realizou 754 cirurgias. Em 2018, a instituição bateu recorde com mais de 152 cirurgias bariátricas, além de pela primeira vez realizar cirurgias de redução de pele, foram 22 durante o ano. Tudo  realizado através de atendimento SUS.

A Organização Mundial da Saúde estima que 1,9 bilhão de adultos tenham sobrepeso, sendo 600 milhões com obesidade. No Brasil,  de acordo com dados do Ministério da Saúde, a cada ano são 1 milhão de novos casos de obesidade no país e a cada 15 anos dobra a taxa de obesos.

O gastroenterologia Dr. Romeu Jose Nacarato, coordenador do setor de Bariátrica da Santa Casa, explica que o Hospital realiza cirurgias de redução de peso desde o ano 2000. E, à partir de 2013, foi credenciado em alta complexidade para fazer cirurgia pelo SUS. Desde então, têm desenvolvido um trabalho que não se refere só a cirurgia em si, mas um bom preparo multidisciplinar, através de  nutrição, psicólogo e assistente social.

“Atendíamos inicialmente uma referência de mais de 180 municípios. Agora, com credenciamento de Itajubá, nossas referências diminuíram um pouco, mas, sem dúvida alguma, graças a condição que a Santa Casa nos da, a gente consegue se qualificar como um dos serviços mais importantes do estado de Minas Gerais”, explica Dr. Romeu, que lembra que, apesar do sucesso das cirurgias, trata-se de um último recurso em casos de obesidade.

“A obesidade é um problema endêmico. A  gente sabe que a cirurgia quando bem indicada tem bons resultados, mas que não é uma solução para atender essa demanda tão grande da população de obesos do Brasil. A gente ainda espera que outras ações se desenvolvam, principalmente na atenção básica, na prevenção, na educação dos adolescentes e crianças para que não tenhamos que recorrer a essa conduta extrema da cirurgia, que realmente não é uma solução ideal para controle de uma epidemia como é a da obesidade”, pontua Dr. Romeu.

“O obeso é um mal nutrido, ele é um mal orientado na parte nutricional desde a infância. A gente sabe que múltiplos fatores levam a pessoa a desenvolver a obesidade grave: a parte educacional, a parte de atividade física, por isso é tão importante ações no sentido de prevenção”, completa o coordenador do setor de Cirurgias Bariátricas da Santa Casa de Poços.


Fonte: Blog do Polli