Saúde divulga resultado do primeiro LIRAa de 2019 em Poços

Publicado em 22/01/2019 - saude - Da Redação

Saúde divulga resultado do primeiro LIRAa de 2019 em Poços

Durante a semana passada, os agentes de endemias da Vigilância Ambiental percorreram 3.565 imóveis de diversos pontos da cidade, para a realização do LIRAa - Levantamento Rápido do Índice de Infestação do Mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, zika e chikungunya. De casa em casa, os agentes vistoriaram as áreas, deram orientações aos moradores e destruíram potenciais criadouros do Aedes, como recipientes destampados e com água parada. Os possíveis focos foram levados para o laboratório de entomologia da Secretaria Municipal de Saúde. A análise comprovou 73 focos de criadouros de mosquito positivos para o Aedes. O material foi encontrado em 56 imóveis, com maior incidência nas regiões leste e centro-sul da cidade. O resultado dá um Índice de Infestação Predial – IIP, de 1,6%, o que coloca o município em médio risco para ocorrência de epidemia de arboviroses e situação de alerta, de acordo com classificação do Ministério da Saúde. “O LIRAa é um indicativo de como está a infestação desse mosquito na cidade, então o foco das ações é na redução dos criadouros do mosquito, na fase larvária. Podemos dizer que o crescimento desse índice em relação ao último levantamento já era esperado diante do período de muita chuva e muito calor que estamos vivendo”, explicou Jorge Miguel Ferreira do Lago, coordenador da Vigilância Ambiental. Na última pesquisa, realizada em outubro de 2018, foi confirmado baixo risco de infestação.

Ainda segundo o levantamento deste mês, 75% dos focos foram encontrados dentro de residências. Já 71,3% do total de focos encontrados foram classificados como depósitos móveis e depósitos passíveis de remoção. “Esses depósitos móveis são vasos, frascos de planta, recipiente de degelo de geladeira e bebedouros de animais, enquanto que os passíveis de remoção são pneus, materiais recicláveis, lixo, recipiente plástico, garrafas ou latas”, esclareceu Jorge.

O coordenador da Vigilância Ambiental disse ainda que ações de prevenção serão intensificadas. “Estamos programando novos mutirões de limpeza que já são realizados periodicamente mas é importante destacar que 75% dos focos confirmados foram encontrados dentro de residências, em latinhas ou vasinhos de planta, por exemplo, por isso vamos fazer uma intensificação na orientação dos moradores, para mostrar para eles que estas situações precisam ser evitadas”, alertou.

Casos que mereçam a visita dos agentes de endemias podem ser registrados na Ouvidoria Municipal de Saúde, pelo 0800-283-0324. O atendimento com ligação gratuita, é de segunda a sexta, das 8h às 17h. O contato também pode ser feito pelo telefone da Vigilância Ambiental, que é o 3697-5977. Importante lembrar que os agentes trabalham identificados com uniforme e/ou colete e também portam crachá que pode ter a apresentação solicitada pelo morador, no ato da visita. Caso a pessoa tenha receio em receber o agente de endemias por dúvidas a respeito da sua identidade, o ideal é entrar em contato com a Ouvidoria ou diretamente com a Vigilância Ambiental, pelo 3697-5977. 

O secretário de Saúde convoca toda a população para este trabalho de prevenção. “É fundamental que todos participem, verificando seus quintais, conversando com os vizinhos e mantendo vigilância constante. Só assim, com o apoio de todos, vamos conseguir reduzir este índice”, finalizou Flávio Togni de Lima e Silva.