Paraíso tem queda no Lira de agosto

Publicado em 19/08/2018 - regiao - Da Redação

Paraíso tem queda no Lira de agosto

Depois de apresentar índices críticos no Levantamento Rápido de Índices de Infestação (Lira) do Aedes aegypti em junho, o último relatório divulgado pelo Ministério da Saúde apresentou no início de agosto um novos dados onde o município de São Sebastião do Paraíso teve uma queda considerável de casos, o que deixa os responsáveis pelo setor menos preocupados. As informações foram divulgadas na semana passada pela coordenadora da Vigilância em Saúde, Daniela Cortez. Ela enfatizou que, mesmo assim, é preciso estar em alerta quanto a possibilidade de infestação de dengue em Paraíso. 

Conforme o levantamento mais recente, o Lira que agora está em seu terceiro levantamento, apresentou índice de 2,1. "Isso significa que, a cada 100 imóveis visitados, em duas foram constatadas a presença de foco do mosquito transmissor da dengue", avalia Daniela. O valor é bem menor do que os dois levantamentos antes divulgados. Em janeiro o indicador apontava 9,2  e, depois em abril, o índice aumentou para 10,3. Através do Programa de Controle e Combate à Dengue, foram visitados 1.704 imóveis distribuídos em todos os bairros da área urbana do município.

“Realizamos a coleta de todos os focos (locais onde tem larva de mosquito) e, após, foi realizado análise laboratorial para identificação de larvas e pupas do Aedes aegypti", comenta a coordenadora.

 Mesmo com o resultado favorável, a coordenadora da Vigilância ressalta que não é possível relaxar e que o estado de atenção e alerta precisam ser permanentes. "Apesar de uma grande queda no índice, ainda temos que ficar alertas, uma vez que é definido pelo Ministério da Saúde que o índice acima de um indica risco médio para surtos de dengue", disse. Em 2018, Paraíso teve sete casos confirmados e foram registradas 49 notificações, sendo que, 32 já foram descartadas e 10 ainda aguardam resultado. “No mesmo período em 2017, tivemos 14 casos positivos e no mesmo período 2016, 368 casos confirmados”, compara. 

Em junho, São Sebastião do Paraíso chegou a figurar entre os municípios do Sul de Minas que estavam com os maiores índices de infestação, com 9,3. A cidade liderava o ranking entre as localidades em situação de risco, já que o valor de 4% já é considerado situação de risco. Para reverter o quadro, a Vigilância intensificou os trabalhos de fiscalização e acompanhamento, além de ampliar as visitas nas casas e terrenos baldios. Se em 2015, quando a cidade teve uma epidemia com 1,3 mil casos confirmados de dengue, neste ano foram oficializadas apenas sete situações. 

Ainda de acordo com Daniela Cortez, a queda no índice de infestação ocorre devido à baixa ocorrência de chuvas. "Estamos em um período mais seco, e também à nova logística de trabalho dos agentes de endemias que estão em um período maior em campo estendido ao horário de almoço, o que propicia a visita em casas fechada. Isso fez com que o número de visitas aumentasse, cobrindo mais imóveis vistoriados e tratados", completa a coordenadora. Outro fator atribuído à melhora nos índices de Paraíso, é a realização do programa Cidade Viva, que tem realizado de forma intensa a limpeza de terrenos e áreas pertencentes a Prefeitura e também de particulares. O trabalho iniciado em maio pretende percorrer toda a cidade até o final do ano.

 ASCOM / texto: Roberto Nogueira  / foto: arquivo Comunicação