Depois de 9 anos parada, motolância do SAMU começa a rodar em Poços

Publicado em 19/01/2018 - regiao - Da Redação

Depois de 9 anos parada, motolância do SAMU começa a rodar em Poços

O SAMU – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência ganhou um reforço a mais para o trabalho diário. Além das três ambulâncias básicas e da ambulância avançada, entrou em operação a motolância, que vai fazer plantões diários, das 7h às 19h. O veículo já fazia parte da frota do SAMU, desde 2009, chegou a rodar por alguns meses de forma irregular, quando o Ministério da Saúde determinou a suspensão do uso.

Para a circulação da motolância, é obrigatório que os condutores sejam técnicos de enfermagem ou enfermeiros e que possuam o curso de capacitação GMAU – Grupo de Motociclista de Atendimento as Urgências. O treinamento dado em Guarulhos, SP, com duração de 60 horas, inclui conteúdos como legislação aplicada, segurança na condução de motocicletas, direção defensiva, técnica e prática de pilotagem aplicada ao atendimento pré-hospitalar – APH. Com etapas de caráter eliminatório, dos 28 participantes que iniciaram o treinamento, apenas 13 chegaram ao final do curso. Os socorristas de Poços, Charles Horácio Ferreira e Flávio Custódio concluíram a capacitação com as melhores notas. “Estou no SAMU desde o início do serviço em Poços, desde 2006 e muito feliz por esta conquista. Além de gostar muito de conduzir, eu acredito muito na motolância e que com ela será possível trazer ainda mais agilidade e tirar a sobrecarga que muitas vezes acontece com o trabalho das ambulâncias”, afirmou Charles. “Lá em Guarulhos, as motolâncias atendem 67% das ocorrências o que representou em um ano, a economia de dois milhões e 800 mil reais, isso mostra o quanto a motolância pode ser útil e de que maneira pode auxiliar na melhoria do serviço”, complementou Flávio.

Os socorristas da motolância, carregam no baú da moto e em uma mochila, tudo o que faz parte do material de trabalho das ambulâncias, como medicamentos, desfibrilador, talas, colares cervicais, aparelhos de medição de glicemia e de pressão, entre outros equipamentos. “Vai ser um suporte para as ambulâncias, porque a motolância tem condição de chegar mais rápido, especialmente nos horários de pico e prestar os primeiros atendimentos. Alguns casos, como de cólica renal, hipoglicemia ou crise hipertensiva, por exemplo, a pessoa pode ser medicada e nem precisar de remoção ou depois deste primeiro socorro, ser removida para outros atendimentos, pela ambulância que fica na UPA, então, essa nova logística pretende otimizar o trabalho, melhorar o tempo resposta e consequentemente ter as ambulâncias utilizadas para os casos em que elas sejam realmente necessárias”, explicou a diretora do serviço, Nair Teodora Smith Chuva.

Na manhã desta quinta, 18, uma cerimônia realizada na sede do SAMU, na Rua São José, 385, no Country Club, marcou o início oficial do serviço de motolância em Poços. “É até absurdo pensar que esta moto ficou parada na cidade nove anos, deixando de prestar um serviço que vai fazer diferença no dia a dia, tanto do trabalho do SAMU, quanto da população atendida. E é isso que nós temos feito: pequenas ações que visam grandes resultados. Nosso compromisso é investir cada vez mais para que os serviços sejam cada vez melhores”, afirmou o prefeito Sérgio Azevedo.

“Quero parabenizar toda a nossa equipe da Saúde, por isso, por esta conquista, especialmente os funcionários do SAMU e os dois condutores, o Charles e o Flávio, que foram até Guarulhos, participaram de um curso difícil, foram aprovados com excelentes notas e agora vão colocar a motolância em ação. Vai ser sem dúvidas, um grande benefício para a cidade”, declarou o secretário de Saúde, Carlos Mosconi.

Também participaram da cerimônia, funcionários do SAMU; o vice-prefeito, Flávio Faria; o secretário adjunto de Saúde, Flávio Togni de Lima e Silva; o diretor administrativo da Secretaria de Saúde, Nilton Junqueira; a secretária de Promoção Social, Luzia Teixeira; a coordenadora do Procon, Fernanda Soares; além dos vereadores: Álvaro Cagnani, Lucas Arruda, Professor Carlos Roberto e o presidente da Câmara, Antônio Carlos Pereira. “A Câmara tem sido parceira em todas as ações da saúde. É uma alegria ver a implantação deste projeto”, disse Pereira.

SAMU em Poços

O SAMU é para casos de urgência e emergência que envolvam riscos de vida, como vítimas de traumas e acidentes graves, de queda de grande altura, de insuficiência respiratória, além de mulheres em trabalho de parto, para citar alguns exemplos. São em média, 4.500 ligações recebidas por mês, o que totaliza mais de 50 mil chamados no ano. A equipe tem cerca de 80 funcionários: condutores, técnicos de enfermagem, enfermeiros, médicos, atendentes, auxiliares administrativos e de serviços gerais. O SAMU também faz a regulação da ambulância do transporte sanitário que fica na UPA, para atender pacientes que têm dificuldades para se locomover, que precisam do transporte para outros atendimentos de saúde mas que não se enquadram em urgências e emergências. O número para solicitação do SAMU é o 192.