INSEGURANÇA PÚBLICA: um grito de socorro!

Publicado em 12/04/2018 - ponto-de-vista - Da Redação

INSEGURANÇA PÚBLICA: um grito de socorro!

Tempos atrás escrevi aqui, neste espaço, algo sobre a insegurança reinante nas pequenas cidades da nossa região. Vejo hoje que tal insegurança reina Brasil afora. Não importa o Estado ou a cidade, pequena ou grande. Observamos que, quanto mais rico o Estado, percentualmente, menor é a violência. Assim é que São Paulo se classifica o menos violento, e Sergipe, Alagoas e Maranhão, os mais violentos. Mas, voltando a Jacuí, uma notícia me deixou alegre e triste: alegre, por saber que nossa cidade tem o Conselho de Segurança Pública – Consep – atuando, e, certamente, abrirá um caminho para uma situação de segurança de melhor qualidade, o que nos diferenciará de outras cidades, que não promovem atitudes voltadas para a segurança Urbana e Rural; triste, porque apenas uma única empresa na cidade está colaborando financeiramente com o Conselho. Talvez esta situação fosse diferente, se Jacuí e outras tantas cidades deste país não tivessem suas empresas e cidadãos onerados com os impostos mais caros do mundo. Bem, oportuno voltar ao passado e resgatar a expressão “Quinto dos Infernos” à época do Império. Pois é. Hoje pagamos o equivalente a Dois Quintos da nossa arrecadação em impostos. Devemos esperar que os governos federal, estadual e municipal façam mudanças no sentido de redução das implacáveis majorações impostas às empresas e cidadãos comuns que cumprem com seus deveres. Mas... agem exatamente ao contrário. Vivemos em um país quebrado. E o negócio é recuperar a economia com mais impostos. O que nos resta? Irmos à luta com as armas que temos e gritar para um bom aparelhamento de nossas polícias para enfrentar o exército de malfeitores, que tomou conta de nossa cidade, transformando a paz em noites e madrugadas de tensão e medo. Mais uma vez gritamos por SOCORRO! às autoridades, que tudo podem e devem fazer para que a tranquilidade reine novamente. Segurança Pública – esse tema ultrapassou todos os limites toleráveis, praticamente em todas as cidades do Sul e Sudoeste de Minas.

Fernando de Miranda Jorge

Acadêmico Correspondente da APC

Jacuí/MG – e-mail: [email protected]