DAR UM tempo

Publicado em 02/10/2018 - ponto-de-vista - Da Redação

DAR UM tempo

É com muita certeza que “dar um tempo” são as palavras que mais incomodam em um relacionamento, ou na tomada de decisão de um negócio, ou do que mudar em sua vida, juntamente com outras duas, de tirarem o fôlego: “precisamos conversar”. Olha, dói no íntimo! E ficamos pensando o que será? Como vai ser? E, até lá, o que fazermos? Nos relacionamentos é simples assim: dar um tempo não quer dizer que seus problemas vão sumir automaticamente. Eles podem ficar mais claros ou latentes e, às vezes, podem voltar a se relacionar com mais intensidade. Ninguém resolve problema de relacionamento sozinho. Por ser um momento de reflexão e, muitas vezes, de confusão, é normal que ninguém saiba muito bem como agir. Por isso, dar um tempo, é preciso. Ninguém pensa em dar um tempo quando está tudo bem, não é? Mas, se precisar de um tempo para pensar, significa que alguma coisa precisa mudar, ou que mudanças estão a caminho. Como exemplos: dar um tempo com alguém no Facebook, no WhatsApp e nas Redes Sociais, na TV, ou, ainda, nos políticos e nas amizades. Tirar umas férias de tudo de vez em quando e decretar um chega-me de dispensar atenção a estas coisas que não existiam há pouco tempo e hoje chamamos de modernidade. Chega de me doer! Por enquanto... “O tempo é um rato roedor das coisas que as diminui ou altera no sentido de lhes dar outro aspecto” (Machado de Assis – jornalista, contista, cronista e poeta). Na verdade, de vez em quando, tudo o que a gente quer é mesmo dar um tempo na vida...

Fernando de Miranda Jorge

Acadêmico Correspondente da APC

Jacuí/MG – e-mail: [email protected]