Para onde vão os Embriões?

Publicado em 03/04/2017 - paulo-botelho - Da Redação

Para onde vão os Embriões?

Vai aqui, caro leitor, apenas uma reflexão para este mês de Abril; o mais cruel dos meses do ano. “Por quê os papas, cardeais e bispos gostam tanto de serem chamados de Santidade e de Excelência?” – É o que perguntava minha avó, a dona Maria de Luna Botelho. Filha do poeta e magistrado Joaquim de Luna Miranda Couto, falava e escrevia corretamente francês. Ela costumava, na hora do jantar em família, citar exemplos extraídos dos contos de Guy de Maupassant, um crítico mordaz da hierarquia da Igreja Católica. Mas, exemplar mesmo é a lista dos novos pecados concebidos pelo Vaticano. – E que pecados são esses? – São os tais pecados sociais que incluem, entre outros, “ violações bioéticas” como o reaproveitamento de células-tronco. De agora em diante, pela lista, alguém não só ofende a Deus quando rouba ou cobiça a mulher do próximo, mas também quando realiza experimentos com células-tronco embrionárias humanas. – E nessa estranha lista o próprio Jesus teria problemas com o Vaticano. – Por quê? – Porque ele, numa festa de casamento lá na distante Galiléia, transformou água em delicioso vinho! A origem da vida sempre foi um problema de aprofundado interesse para a ciência, não obstante o progresso da biologia. Cientistas já estão decifrando os segredos que elas – as células – encerram para permitir que as células bobas de embriões saibam evoluir para células musculosas ou inteligentes; assim como as células dos neurônios d o cérebro. Isso permitirá, mais tarde, corrigir defeitos e mutações nos seres humanos; compensar lesões traumáticas e melhorar a vida da humanidade tão doente e sofredora. O cientista brasileiro Alysson Muotri, do Instituto Salk, Estados Unidos, constata e propõe: “Ao contrário de muitos países, o Brasil tem acesso fácil a materiais de pacientes (biópsias e casos familiares); poderíamos gerar um valioso banco de células pluripotentes humanas derivadas de pacientes”. O tema está há alguns anos sob fortíssima influência e dependência dos “iluminados” da Igreja e dos “sabichões” do STF – Supremo Tribunal Federal. Enquanto se espera pelo “veredito”, os embriões vão ficando nos botijões. – E é provável que irão parar nas latas de lixo!

Paulo Augusto de Podestá Botelho é Consultor de Empresas e Escritor. www.paulobotelho.com.br