A Folha Regional - Artigos - Paulo Botelho

Mulheres

Em 08/12/2014 - Paulo Botelho - Paulo Botelho

Por Paulo Botelho “É muito melhor cair das nuvens que de um terceiro andar.” Machado de Assis, escritor. O nosso poeta Vinicius de Moraes sempre ressaltou o amor das mulheres com seus ganhos e perdas. Wystan Auden, poeta inglês, evidenciava o sentido mais prático do amor. – É só pensar um pouco em um de seus versos: “Hundreds have lived without love, but none without water!” (Centenas viveram sem amor, mas ninguém sem água!) – E eu fico pensando, especialmente, nas mulheres de Itu na sua busca diária para obter e preservar o precioso líquido. Aécio Neves, esse alter ego do predador Fernando Collor, perdeu milhares de votos em Minas e no Nordeste ao chamar Dilma de leviana.

Veja +

A Essência das Flores

Em 08/12/2014 - Paulo Botelho - Paulo Botelho

Por Paulo Botelho “Entre as prendas com que a natureza alegrou este mundo onde há tanta tristeza, a beleza das flores realça em primeiro lugar!” Vinicius de Morais, poeta. Neste fim de primavera tão seco, sem água, as nossas flores como que em agonia não deixam de expressar sua beleza. O que me entristece neste país são as atitudes das pessoas em todos os níveis sociais. Elas têm sido extremamente consumistas, egoístas, despolitizadas e de baixa compreensão ao contrário das flores. Entretanto, é do Uruguai, país em reconstrução, que vem o melhor exemplo de atitude.

Veja +

O Falcão

Em 17/11/2014 - Paulo Botelho - Paulo Botelho

Por Paulo Botelho “Não há ansiedade maior do que carregar dentro de si uma história não contada”. Maya Angelou, dramaturga americana. Eu vi na tv em um canal desses que quase ninguém vê. Preferiria ter visto ao vivo. E que vivo! Foi bem ao lado de um bueiro quase em frente ao edifício Empire State Building na 5ª Avenida, cidade de Nova York.

Veja +

O Aniversário da Menina

Em 09/06/2014 - Paulo Botelho - Da Redação

Por Paulo Botelho “There’s a place for us;  Somewhere a place for us!” (Há um lugar para nós; em algum lugar há um lugar para nós!) Leonard Bernstein, compositor americano). Foi Hildebrando Bueno quem presenciou; lá também estava o radialista Salomão Schwartzman da Rádio Cultura de São Paulo, dono do bordão “Seja Feliz!” Aconteceu dentro de uma prosaica lanchonete do bairro de Pinheiros, por volta do meio-dia do último sábado do mês de maio.

Veja +

Uma Receita de Resultado

Em 05/05/2014 - Paulo Botelho - Paulo Botelho

Por Paulo Botelho O investimento veio de dona América do Perpétuo Socorro Bueno, fazendeira no Sul de Minas Gerais; mãe de quatro filhas. E a tecnologia, a “Arte de Fazer Pão-de-Queijo”, veio de quatro irmãos italianos: Fabrizio, Enzo, Mino e Aldo. Para a sogra – e sogra tem sempre um adjetivo para nomear genro – eles não passavam mesmo de quatro “sacos vazios”(leia-se pobretões) que não serviam para outra coisa a não ser engravidar suas filhas. – Coitadas!

Veja +

Tinha um Obstáculo

Em 09/04/2014 - Paulo Botelho - Paulo Botelho

Por Paulo Botelho “No meio do caminho tinha uma pedra; tinha uma pedra no meio do caminho”. Carlos Drummond de Andrade, poeta. Ele se chama Baloubet du Rouet. Não é o nome de um fino vinho francês, tampouco de um perfume da mesma procedência; mas de um cavalo. Não um pangaré qualquer, mas um alazão da raça Sela Francês – raça reconhecida há 250 anos, ideal para provas de saltos com obstáculo.

Veja +

Tinha um Obstáculo

Em 01/04/2014 - Paulo Botelho - Da Redação

Por Paulo Botelho “No meio do caminho tinha uma pedra; tinha uma pedra no meio do caminho”. Carlos Drummond de Andrade, poeta. Ele se chama Baloubet du Rouet. Não é o nome de um fino vinho francês, tampouco de um perfume da mesma procedência; mas de um cavalo. Não um pangaré qualquer, mas um alazão da raça Sela Francês – raça reconhecida há 250 anos, ideal para provas de saltos com obstáculo.

Veja +

As Pessoas no Trabalho

Em 25/11/2013 - Paulo Botelho - Paulo Botelho

Por Paulo Botelho “ As pessoas são ativos que devem ser valorizados e desenvolvidos e não recursos a serem consumidos”. Celso Furtado, economista brasileiro. É uma pena ter que trabalhar tanto e de forma desorganizada. Uma das coisas mais difíceis que existe é trabalhar duramente, sem motivação, de forma desorganizada e, sobretudo, desconfortável. Entretanto, é preciso compreender o trabalho e suas relações para poder transformá-lo.

Veja +

A Sintaxe da Preocupação

Em 25/11/2013 - Paulo Botelho - Paulo Botelho

Por Paulo Botelho Ele é dotado daquela raríssima preocupação afetiva que melhor qualifica o ser humano, especialmente na relação com os amigos. Muito magro e baixo, olhos vivos e rastreadores, bigodes e cavanhaque de mandarim, não agüentou a repressão política contínua da ditadura do governo chinês – e deixou a Universidade de Pequim exilando-se no Brasil a partir dos anos 90. Fomos colegas de Universidade (ele lecionando Métodos Quantitativos e eu Logística Reversa) além de  vizinhos de rua; entretanto a amizade continua firme e forte tanto quanto o seu atropelado português escrito e falado!  

Veja +

UMA MARAVILHOSA TRANSFORMAÇÃO DO SER HUMANO

Em 25/11/2013 - Paulo Botelho - Paulo Botelho

Por Paulo Botelho “Somos o que fazemos, mas somos sobretudo o que fazemos para mudar o que somos”. Eduardo Galeano, escritor uruguaio. Baixo, magrinho e meio calvo acho que ele já ultrapassou a casa dos 50 anos de idade; acho mesmo que ao nascer ganhou de sua mãe aquela escada metálica, leve, de 20 degraus. Acrobata do Cirque du Soleil, ele faz o que quer com a escada.

Veja +