MINHA VOLTA E AS ÚLTIMAS PESQUISAS ELEITORAIS

Publicado em 24/08/2018 - marco-regis-de-almeida-lima - Da Redação

MINHA VOLTA E AS ÚLTIMAS PESQUISAS ELEITORAIS

Meus sinceros pedidos de desculpas se leitores porventura possam ter procurado por esta coluna durante as três semanas passadas não a encontrando.  O mesmo pedido estendo à Redação deste semanário, embora num primeiro momento eu tenha telefonado para justificativas iniciais. Não me imaginava sair por tanto tempo do circuito. Hoje, porém, o meu drama pessoal bem que faria jus a um artigo que preencheria este espaço, que a mim é concedido semanalmente. Como médico teria muito que contar e detalhar sobre esse período em que me tornei paciente em leito de hospital. Nunca deixam de ser interessantes os relatos de um caçador quando vira caça. Vejam só que nesse pequeno intervalo  vi-me impelido a descer do pedestal da imortalidade – aonde a gente pensa estar – e a tremer nas bases diante da constatação de que adquirira lesões obstrutivas nas artérias do meu coração e já havia protelado e desdenhado em muito as providências a serem dadas. Agora, já não dava para acelerar, ficando eu à mercê do imponderável, torcendo para que a foiçada da morte não me ceifasse antes ou durante os dias em que as etapas dessas providências iam sendo tomadas. Gostaria de desenvolver este assunto, mas urge que falemos das eleições gerais brasileiras, pois desta feita o calendário eleitoral está muito reduzido e não dá para nos omitirmos em assunto tão fundamental.

                Antes de adentrarmos em comentários relativos à eleição presidencial brasileira, não podemos nos esquivar da sucessão ao governo do nosso Estado.

               Nesta 3ª. Feira, 21, o candidato a governador de Minas Gerais com o potencial de uma 3ª via, Márcio Lacerda (PSB), retirou seu nome da disputa e anunciou sua desfiliação do PSB. Desde a convenção ele se sentia enfraquecido na sua tentativa de resistir judicialmente às pressões da Comissão Provisória Estadual do seu partido e ao próprio Diretório Nacional do mesmo, contrários à sua candidatura em troca de uma aliança nacional com o PT e pelo apoio deste à reeleição de Paulo Câmara (PSB) ao governo de Pernambuco. Ele tinha o apoio do PDT/PRB/ PODEMOS/PV/PROS e do MDB, que fornecia o vice para Lacerda, Adalclever Lopes, Presidente da Assembleia Legislativa. Resta agora saber se Adalclever ou quem assumirá a vaga de postulante ao governo mineiro na vaga de Lacerda, ou, se essa coligação disputará vagas apenas para os legislativos estadual e federal, bem como se manterá o deputado federal Jaime Martins (PROS) disputando vaga de senador, deixando seus candidatos e militância livres na eleição de governador. O diário belorizontino “O Tempo”, desta 4ª.f., 22, analisa a repercussão disso no principal partido coligado, o MDB, no final da matéria de Bernardo Miranda “Sem Lacerda, siglas decidem manter aliança por terceira via”. Essa análise diz: “Deputados emedebistas que eram contrários à aliança com Márcio Lacerda afirmaram que muito dificilmente o partido estará mobilizado em torno de uma candidatura própria”. Cita palavras do deputado federal Fabio Ramalho, vice-presidente da Câmara dos Deputados: “Não vai ter união no partido.. Não tem como. [...]Ninguém vai estar com uma candidatura sem chances de vitória”. O texto do jornal termina assim: “LADO – Fábio Ramalho declarou apoio a Pimentel e reclamou que, com a saída do PSB, a chapa proporcional fica pior e dificulta a eleição de deputados do partido”.  

                 A pretensa confiança demonstrada por Márcio Lacerda desde a convenção partidária até alguns dias depois do registro da sua candidatura junto ao TRE-MG – Tribunal Regional Eleitoral – foi a mesma que quis aparentar Rodrigo Pacheco (DEM) no lançamento de sua candidatura a governador, na convenção dos Democratas. Só que o sonho de Pacheco durou apenas algumas noites de inverno, pois foi visitado e pressionado por Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, junto com Geraldo Alckmin (PSDB-SP), que lhe demonstraram que seus partidos já haviam se coligado nacionalmente e seria inviável ele fugir disso aqui em Minas. Como consolo lhe foi concedida uma vaga de candidato ao Senado na chapa tucana à sucessão mineira formada por Antonio Anastasia (PSDB) / Marcos Montes (PSD). O curioso e contraditório em  Rodrigo Pacheco (DEM) foi sua opinião sobre a “desistência” de Marcio Lacerda (PSB), publicada no referido jornal de BH: “Episódios como esse frustram e sufocam uma candidatura legítima...”. Como que o vexame dele tivesse sido menor ao recuar da sua candidatura a governador depois do puxão de orelhas que levou do seu partido por meio de Rodrigo Maia e do candidato Alckmin, além do malabarismo que havia feito para ser candidato pelo DEM, desfiliando-se do MDB.

                 Pesquisa feita pelo Datafolha, entre os dias 20 e 21 desta semana, encomendada pela TV Globo e Folha de S.Paulo, divulgada pela TV Globo Minas/BH, ouviu 1.214 eleitores em 56 municípios de Minas. Eis o resultado da pesquisa num cenário que já excluía Márcio Lacerda:

ANTONIO ANASTASIA/Marcos Montes (PSDB-PSD-DEM-PTB-PPS-PP-PMN-PSC-PTC.29%

FERNANDO PIMENTEL/Jô Morais (PT-PC do B-PSB-PR[PS]DC...................................20%

ROMEU ZEMA/Paulo Brant (Partido Novo).................................................................   5%

JOÃO BATISTA MARES GUIA/Abraão Gracco (REDE)................................................... 3%

DIRLENE MARQUES/Sarah Azevedo (PSOL).................................................................  2%

JORDANO METALÚRGICO/Victória de Mello (PSTU)...................................................   1%

ALEXANDRE FLACH/Sebastião Pessoa (PCO)...............................................................   1%

CLAUDINEY DULIM/Leandro Ramon (AVANTE)..........................................................   1%

Na eleição para o Senado Federal, que neste pleito oferece 2 vagas,  aparecem com intenções de voto:

DILMA ROUSSEFF (PT) .....25%: Jornalista CARLOS VIANA (PHS).11%; CORONEL LACERDA (PPL)...e PROFESSOR TÚLIO LOPES (PCB), ambos com 8%;  Bispo DAMASCENO (PPL)...7%;  RODRIGO PAIVA (Novo), VANESSA PORTUGAL (PSTU), JAIME MARTINS (PROS) e RODRIGO PACHECO (DEM), todos com 6%; finalmente, ANA ALVES (PCO) e DINIS PINHEIRO (do Solidariedade), ambos com 5% das intenções de voto.

                Na corrida ao Senado em Minas Gerais, o PT insistiu muito para que Márcio Lacerda disputasse uma das vagas junto com Dilma e por estar o PSB, oficialmente, coligado com o PT. Mas, a concretização da desfiliação de Lacerda do PSB, vai mesmo deixar em aberto a 2ª vaga. A 1ª vaga parece mesmo ter eleição garantida  para a ex-presidente DILMA ROUSSEFF, que é mineira, mas tinha antes seu domicílio eleitoral no Rio Grande do Sul. A candidatura dela parece estar sendo a vingança dos mineiros contra aquele que foi o algoz dela no processo do “impeachment”, o senador-relator Antonio Anastasia.

                  Mas, o que tem deixado perplexo a “banda golpista”, que derrubou Dilma Rousseff , e que,  a todo custo,  com a conivência do Poder Judiciário, colocou Lula na prisão, é a folgada liderança de Luiz Inácio Lula da Silva – em todas as pesquisas de intenção de voto.

                   Nesta semana, o MDA/CNT demonstrou, conforme transcrito da página 10, do jornal “O Tempo”, de Belo Horizonte, que Lula (PT) saltou dos 32,4%, em maio, para 37,3% na 2ª feira, 20 de agosto. “Na sequencia, aparecem : Jair Bolsonaro (PSL), com 18,8%, Marina Silva (REDE), com 5,6%, Geraldo Alckmin (PSDB), com 4,9%, Ciro Gomes (PDT), com 4,1%. Depois deles, a pesquisa ainda registra Álvaro Dias (PODEMOS), com 2,7%, Guilherme Boulos (PSOL), com 0,9%, João Amoedo (Novo), tem 0,8%, Henrique Meirelles (MDB), também com 0,8%. Já o candidato do PATRIOTA, Cabo Daciolo, teve 0,4%, seguido de Vera Lúcia (PSTU), com 0,3%, e João Goulart Filho (PPL), com 0,1%. José Maria Eymael [PS]DC, não pontuou. O MDA/Confederação Nacional do Transporte somente pesquisou e divulgou um único cenário com a candidatura Lula presente.

                     Na edição impressa de “O Globo”, desta 3ª feira, 21 de agosto, é matéria de capa o resultado da 1ª pesquisa IBOPE para a Presidência, contendo dois cenários, um deles com a presença de Lula. Esta capa apresenta os gráficos com Lula (PT), disparado na frente com 37%, Jair Bolsonaro (PSL) em 2º com 18%, Marina Silva em 3º com 6%, e, empatados, Ciro Gomes (PDT) e Geraldo Alckmin (PSDB), ambos com 5% . No cenário SEM LULA:  Jair Bolsonaro (PSL) = 20%, Marina Silva (REDE) = 12%, Ciro Gomes (PDT) = 9%, Geraldo Alckmin (PSDB) = 7% e Fernando Hadad (PT) = 4%.

                    Finalmente, a capa do diário paulistano,  Folha de S.Paulo, desta 4ª feira, 22 de agosto é dividida com dois grandes títulos, sendo encabeçado por “MORRE AOS 61 O JORNALISTA OTÁVIO FRIAS FILHO” (Diretor de Redação e filho do fundador da Folha de S.Paulo) e na metade inferior “PRESO, LULA TEM 39%: SEM ELE BOLSONARO CHEGA A 22%. No cenário da 1ª pesquisa Datafolha em que Lula  é mantido como candidato ele chega aos 39 seguido por Jair Bolsonaro com 19%, Marina Silva com 8%, Geraldo Alckmin, com 6% e Ciro Gomes com 5%. Substituindo-se Lula por Fernando Hadad (no PT) o resultado é o seguinte: Jair Bolsonaro (PSL) = 22%, Marina Silva (REDE) = 15%, Ciro Gomes (PDT) = 10%, Geraldo Alckmin (PSDB) = 9%, Álvaro Dias (PODEMOS)= 4% E Fernando Hadad (PT) = 4%.

 

Marco Regis de Almeida Lima é médico, foi prefeito de Muzambinho (1989/92; 2005/08) e deputado estadual-MG (1995/98; 1999/2003)

[email protected]