A condenação de Lula

Publicado em 26/01/2018 - marco-regis-de-almeida-lima - Da Redação

A condenação de Lula

Para um cidadão como eu, que respira política a plenos pulmões, a minha coluna desta semana havia muito tempo que estava reservada para um acontecimento constante da agenda Brasil, janeiro, 24, 2018. Na chocadeira da justiça brasileira, um ovo especial tinha sua eclosão prevista para esta ocasião – um ovo de serpente transgênica produzida em Curitiba, devoradora de humanos supostamente transgressores da lei e da ética. Dotada de serpenteios imprevisíveis, dotes cibernéticos acurados e pleno domínio dos fatos ela demonstra avidez omnívara engolindo, além de homens corruptos, compêndios legais, biografias e quaisquer publicações que contenham vestígios da coloração vermelha. Há quem descreva essa espécie como um homem-réptil. Estudos sugerem que essa serpente poderia se proliferar num ecossistema favorável em território brasileiro, nos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, região onde os monstrinhos estariam melhor integrados e mais protegidos nos ambientes domésticos.  Aliás, nessas regiões a admiração por monstros como os dinossauros é muito difundida, muitas vezes motivando frequentes viagens aos grandes parques temáticos dos Estados Unidos da América para maior aprendizado e devoção.

Por falar na “América great again”, juro que seguiria o exemplo de Trump, se me fosse dado o privilégio de me tornar presidente desta nossa republiqueta – construiria um muro desde os contrafortes da Mantiqueira, na tríplice divisa de Minas Gerais, Rio e São Paulo e seguindo pelas divisas com este, até os cafundós de Mato Grosso do Sul dividiria Minas desse povo opulento e metido à besta, de sotaque anglosaxão e nipônico e, claro, mandaria a conta do muro para eles pagarem, pois se dizem a locomotiva do Brasil, a fim de que deixassem nós mineiros, fluminenses, capixabas, nordestinos, mato-grossenses e povos da Amazônia como um autêntico Brasil, orgulhoso da nossa colonização portuguesa. Ou não são eles mesmos que pregam a separação? Em outro artigo, até sugeri um nome para esse novo País: República do Novo Eixo, em alusão aos antigos aliados: Alemanha, Itália e Japão.

Pois bem, nesse cenário surreal, num próprio da justiça brasileira, no Rio Grande do Sul, na data aprazada, um antigo e pobretão sonhador, que tivera a felicidade de se aliar a José Alencar, um rico sonhador – depois ceifado pela morte – foi vítima dos filhotes do ovo eclodido. Ao optar pelo caminho mais largo e mais fácil – servindo de rebocador de banqueiros ladrões e dando espaço para amigos sem caráter como Palocci, Zé Dirceu, Michel Temer, Delúbio, Vacari, Valdemar Costa Neto, Roberto Jéfferson, Marcos Valério, Gedel Vieira Lima, Mauro Lopes, Eduardo Cunha e tantos outros, ele se enredou numa monumental teia. O pobretão sonhador tornou-se o milionário das lendas contadas por todo o País, uma delas como dono do Friboi. O retirante nordestino, o impávido metalúrgico e sindicalista, o fenômeno político – LULA – se fragilizou junto com sórdidos aliados e bajuladores do poder, os verdadeiros predadores da Nação brasileira. As elites invejosas e avessas aos pobres gritaram alto, promovendo-lhe impiedoso cerco.  Movimentos impatrióticos e canalhas arregimentaram o povo como manada ensandecida, tipo ‘Vem prá Rua’, ‘Movimento Brasil Livre’, ‘Radicais on line’. Por mais que os desembargadores federais, Gebran, Paulsen e Victor Laus tenham “encontrado” provas materiais e testemunhais no que tange hoje ao ‘tríplex do Guarujá’ e, amanhã, ao ‘sítio de Atibaia’, não convenceram a muitos juristas de escol, à pequena e verdadeira imprensa livre e ao povão. Aonde houve lavagem de dinheiro? Cadê as contas de Lula em paraísos fiscais? Para quem teve a vida revirada do avesso, por que não encontraram dinheirama em suas contas ou malas, como achado com os amigos de Michel Temer, com Aécio Neves, com Gedel e outros? Que estorinha furada foi essa do apartamento tríplex e do sítio???

Para melhor ilustrar este meu artigo, transcrevo da versão digital da revista ‘Carta Capital’, de 20-Jan-2018, entrevista feita pelo jornalista André Barrocal com o político Manolo Pichardo,  pertencente ao PLD – Partido de Libertação Dominicana – que “participou de sinistra reunião em um hotel de Atlanta/USA”, por convite de seu amigo e ex-presidente da Guatemala, Vinício Cerezo, na qual estavam alguns outros ex-presidentes latino-americanos com o objetivo “varrer adversários progressistas do mapa”. O Plano Atlanta consiste em “desmoralizar líderes progressistas na mídia com acusações de corrupção, inclusive a familiares, bem como ataques ao comportamento privado deles, convertendo, depois, os escândalos em processos”. Enumera que deu certo com Fernando Lugo/Paraguai; Cristina Kirchner/Argentina; Rafael Correa/Equador; e Dilma/Brasil. Mas, “a joia da coroa do Plano Atlanta é Lula”, emendou Pichardo.

Nesta 4ª.f.,24, LULA foi vítima da eclosão do ovo da serpente transgênica de Curitiba, que já tinha atacado a ele no território dela. Agora, não coube reação, porque a serpente-mãe havia inoculado antes o veneno paralisante. Os filhotes gaúchos deram a bocada final.

*O autor é médico, foi prefeito de Muzambinho (1989/92;2005/08) e deputado estadual-MG (1995/98; 1999/2003) -  [email protected]