Vereadores trocam “farpas” na Câmara de Monte Belo

Publicado em 06/05/2018 - legislativo - Da Redação

Vereadores trocam “farpas” na Câmara de Monte Belo

Um polêmico debate entre os vereadores Gilmar e Pezão acabou mobilizando os demais vereadores durante a reunião da Câmara de Monte Belo no dia 02 de maio. Confira ainda uma síntese dos demais temas debatidos, com destaque para a necessidade de conservação das estradas rurais.

APROVADOS
Foram aprovados por unanimidade, em turno único, dois projetos de Lei tratando da finalização do contrato do terminal rodoviário, os valores de R$ 18.871,37 e R$ 34.078,32. Da mesma forma, foi aprovado projeto de Lei autorizando o Executivo a proceder a abertura de crédito suplementar no valor de R$ 72 mil, possibilitando ao município arcar com despesas com demandas judiciais.

CONTAS DE 2015
O presidente Cláudio Donizete Pereira (“Claudinho” - PRTB) revelou que as contas do exercício de 2015, do então prefeito Humberto Fernandes Maciel, sofreu investigação por parte do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais. Mas recentemente, foi emitido parecer favorável, com uma diferença em R$ 3 mil. Assim, afirmou que a documentação está à disposição de todos os vereadores na Secretaria da Câmara.

ESTRADAS RURAIS
O vereador Gilmar Ferreira (PT do B) falou sobre o início da colheita de café, sendo que um morador (que foi candidato a vereador e apoiou o atual prefeito) do bairro Palmital dos Costa pede melhorias nas estradas. Gilmar, por sua vez, manifestou seu entendimento de que o prefeito deveria contratar patroleiros ou pagar hora extra para que o trabalho ocorra também nos finais de semana. Com isso, recuperando as estradas o mais rápido possível.
O vereador Valdir Francisco da Silva (“Pezão” - PP) agradeceu a equipe do pátio por melhoria em rua no bairro Pôr do Sol. O prefeito garantiu que será solucionado em breve o problema existente no Distrito de Santa Cruz da Aparecida, sendo que situação foi revela em fotografias. Da mesma forma, o Executivo afirmou que vai atender todo o município.
O vereador Antônio Marco Tranches (“Marquinho Tranches” - DEM) solicitou o envio de ofício ao encarregado das estradas pedindo melhorias na Invernada, onde a situação é ruim e os produtores estão próximos do início da colheita do café. Também pedem a manutenção de mata-burro próximo ao morador Marcelo Cardoso, no bairro Quatis.
O vereador Nilson Donizette da Silva (“Nilsinho” - PSD) declarou que tem observado o esforço dos encarregados pelas estradas. Revelou que a prefeitura conta com três máquinas trabalhando. Explicou que o secretário está colocando as máquinas por bairro, seguindo uma sequência. Com a chegada de um caminhão pipa e devido cascalhamento, a expectativa é que no máximo em 30 dias os problemas serão solucionados.
O presidente Cláudio Donizete Pereira (“Claudinho” - PRTB) reconheceu o posicionamento do colega Gilmar, mas também exaltou as palavras dos colega Nilsinho. Manifestou sua confiança de que o trabalho está sendo bem feito e deverá atender todo o município num prazo breve. No Distrito de Santa Cruz, a intenção é asfaltar as ruas da localidade.

PEZÃO X GILMAR
O vereador Valdir Francisco da Silva (“Pezão” - PP) ainda reclamou que ao final de cada reunião Gilmar Ferreira passa por botecos e oficinas difamando os colegas da Câmara. Chegou, inclusive, a xingar o próprio prefeito. Assim, Pezão indagou ao presidente Claudinho o que pode ser feito, pedindo mais respeito para com todos os vereadores e eleitores.
Gilmar afirmou que o colega Pezão somente inventa mentiras e faz difamação. Assim, também pediu ao presidente que observe a conduta do colega. Reclamou dos ataques sofridos, afirmando que é “puxa saco” do prefeito a exemplo do colega. Disse que “não tampa o sol com a peneira”. No final, pediu provas da acusação sofrida. Pezão garantiu que usa de mentiras e revelou a ofensa proferida por Gilmar em uma loja da cidade.
O debate passou a ser mais intenso, sendo necessária a intervenção do presidente. Claudinho afirmou que o vereador Gilmar não conhece o Regimento Interno da Câmara, explicando sobre o “direito da palavra”, sem interrupção. Também alertou sobre os palavrões e ofensas as colegas, como sempre faz. Defendeu a ética e postura. Explicou sobre a falta de decoro e possibilidade de cassação do mandato. No final, pediu ponderação por parte dos dois vereadores. Avisou que, como presidente, tem a obrigação de colocar ordem no plenário e cumprir o que determina o Regimento Interno da Câmara.
O vereador Antônio Marco Tranches (“Marquinho Tranches” - DEM) também comentou a respeito, argumentando que a postura dos dois colegas não serve à comunidade. Manifestou respeito e concordância com as palavras do presidente. “Temos que nos posicionar como autoridades e pessoa representante do povo”, falou.
A vereadora Rosária Aparecida de Souza (“Rosária do Bom Jesus” - PRP) manifestou seu bom entendimento e admiração aos colegas Gilmar e Pezão. Mas concordou com o presidente Claudinho sobre a necessidade de provas. Assim, defendeu a união entre todos na busca de verbas e conquistas que possam beneficiar toda a população.
A vereadora Maria Aparecida Correia de Freitas (“Cida” - PSD) argumentou que a população coloca os vereadores como seus representantes, mas para ser unidos e que possam trabalhar pelo município de uma forma geral. Ou seja, sem observar situação ou oposição. “Somos remunerados pelo município para fazer esta representação e trabalhar pelo povo”, disse. Concordou com o posicionamento do presidente Claudinho, rebatendo as picuinhas entre os vereadores e defendendo o respeito entre todos os vereadores.

CRECHE DO BOM JESUS

A vereadora Rosária Aparecida de Souza (“Rosária do Bom Jesus” - PRP) ainda falou sobre um abaixo-assinado reivindicando a reabertura da creche do bairro Bom Jesus. Conforme resposta encaminhada pelo Executivo, o prefeito informou que a administração está analisando juntamente com a Secretaria Municipal de Educação, a viabilidade de reabertura da referida creche.
Rosária, por fim, falou sobre a necessidade de conservação das estradas rurais, citando reivindicação de moradores do bairro Correias. Em resposta a ofício encaminhado pela vereadora, o Executivo esclareceu que a reivindicação já se encontra na pauta do plano de manutenção e conservação de estradas vicinais do município neste ano de 2018.