Vereadores dizem “não” para a criação de novos cargos em Monte Belo

Publicado em 09/09/2018 e atualizado em 06/09/2018 - legislativo - Da Redação

Vereadores dizem “não” para a criação de novos cargos em Monte Belo

“NÃO” PARA CRIAÇÃO DE CARGOS

Entrou na pauta da reunião, o projeto de Lei 040/2018 dispondo sobre a criação de vagas e alteração de anexo da Lei 2.800 de 30 de junho de 2017, que cria vagas para os cargos de motorista de ambulância e auxiliar de contabilidade. O debate foi intenso entre os vereadores.

Nilsinho defendeu o funcionalismo, alegando que o motorista tem hora para começar a trabalhar, mas não tem hora para terminar a sua jornada. Garantiu que todos os servidores trabalham muito. Também alertou que o prefeito está fazendo a sua parte para atender a população, mas os vereadores foram contrários em projeto. 

Gilmar Ferreira questionou a redução salarial do funcionalismo, em comparação com o mandato anterior. Nilsinho rebateu dizendo que não houve redução, sendo que a própria Câmara aprovou um reajuste salarial. Pezão aconselhou os cidadãos a observar quem votou contra ao projeto, principalmente quando precisar do atendimento de uma ambulância. 

Marquinho Tranches considerou um absurdo a atitude dos colegas Nilsinho e Pezão achar que “um motorista de ambulância vai resolver o problema da saúde” no município. Também criticou o conselho no sentido do cidadão procurar o vereador que votou contra. Ainda debateu com Nilsinho, questionando seus posicionamentos e criticando a criação de cargo em excesso no atual mandato.

O presidente Claudinho foi direto: “Com saúde não se brinca jamais”. Reconheceu que o setor tem muitos carros, observando que também é necessário mais motoristas, pois a demanda também aumenta. Por isso, considerou justo a criação de mais um cargo de motorista para a área de saúde. A vereadora Rosária esclareceu que não estaria votando contra a área de saúde, mas apenas contra a criação de cargo.

No final, o projeto foi rejeitado, tendo recebido 5 votos contrários e apenas 3 favoráveis. Foram contrários os vereadores Ricardo, Gilmar, Rosária, Marquinho Tranches e Biscoito. Foram favoráveis os vereadores Nilsinho, Pezão e Cida. Vale lembrar que o presidente Claudinho somente vota em caso de empate.

CONTRA CARGOS

O vereador Gilmar Ferreira argumentou que não há voto contra o prefeito, mas apenas aquilo que for certo. Lembrou votação de projeto do CIMOG, quando houve empate e o presidente foi favorável. Entende que aqueles que foram contrários não estavam errados, parabenizando os vereadores de Muzambinho que rejeitaram o projeto. Avisou que será contrário em todo projeto que pretender a criação de cargos, com exceção para médico ou enfermeiro. Aproveitou para elogiar o presidente Claudinho pela postura de respeitar o posicionamento dos colegas.

MAIS UMA PATROL

O vereador Nilsinho garantiu que respeita o posicionamento dos colega, mas entende que a população “vai pagar por isso”. Isto quando faltar o motorista de ambulância. Na área de contabilidade, citou que cidadão foi aprovado em concurso público e agora foi prejudicado devido a um “não” na Câmara.

Nilsinho manifestou satisfação pela recuperação de Patrol que estava parada há praticamente sete anos e agora está trabalhando na conservação das estradas rurais. Assim, parabenizou os mecânicos e servidores do pátio da prefeitura.

MÃO NO FOGO PELO PREFEITO

O vereador Pezão também comentou que a Patrol estava abandonada no pátio e praticamente “jogada no lixo”, sendo recuperada pelo atual governo. Alertou que uma retroescavadeira também está no barracão e “jogada no lixo”. Ainda foi feito o motor em todas as três W20, na Patrol, caminhão do lixo e caminhão caçamba. Agradeceu o prefeito Valdevino por ter confiado no seu pedido e colocado a Patrol para trabalhar.

Pezão aproveitou para comentar que o município está precisando de um engenheiro para fazer o levantamento de uma ponte no Distrito de Santa Cruz da Aparecida, que está precisando ser reformada com urgência. O mesmo acontece com uma ponte o Distrito de Juréia. Em seguida, considerou que o cargo de motorista da ambulância seria muito importante para a população. O vereador manifestou seu entendimento de que a atual administração está muito bem. “Eu coloco a mão no fogo pelo prefeito Valdevino”, anunciou. Pezão ainda comentou e elogiou o trabalho de conservação das estradas rurais, inclusive com a colocação de cascalho.

NÃO É JUSTO E HUMANO

A vereadora Cida declarou que realmente há uma necessidade muito grande de mais um motorista de ambulância. Argumentou que na gestão anterior os motoristas estavam sobrecarregados e recebendo hora extra. Com isso, todos os motoristas entraram na Justiça cobrando um valor bem alto da administração. Entende que o prefeito realmente deve “colocar a casa em dia”, pois está faltando motorista. Mesmo garantindo respeito aos votos dos colegas, alertou que há uma carga horária a ser cumprida. “Não é sobrecarregando o motorista que vamos fazer economia. Não é justo e humano”, comentou. 

Gilmar argumentou que o município tem 12 motoristas de ambulância. Assim, entende que não há necessidade de mais contratação, bastando pagar melhor e colocar os motoristas para trabalhar. Cida rebateu dizendo da grande demanda de atendimento e da necessidade legal de cumprimento da carga horária.

Cida ainda comentou a resposta do Executivo a ofício de sua autoria sobre o recolhimento de animais soltos pelas ruas da cidade. Na resposta, o prefeito informou que as providências já estão sendo tomadas e as medidas divulgadas para que os proprietários tomem ciência, recolham e se responsabilizem por seus animais evitando a apreensão e aplicação das penalidades cabíveis.

PADRÃO DE LUZ NA JURÉIA

O vereador Marquinho Tranches solicitou o envio de ofício ao Secretário de Obras reivindicando a conclusão dos trabalhos na antiga rua da Conferência, no Distrito de Juréia. Esclareceu que é preciso colocar um poste para possibilitar a ligação do padrão de energia elétrica. Como está num único padrão, o valor da energia está ficando muito alto aos moradores. Com um padrão em cada casa, é possível reduzir este valor.

Marquinho Tranches ainda perguntou à colega Cida, que já ocupou a Secretaria de Saúde, quantos motoristas viajam para São Paulo (entre os 12 existentes no quadro da prefeitura). Também perguntou sobre a data do processo dos motoristas contra a prefeitura. Cida informou que os motoristas “deram o processo para o advogado” na gestão passada, mas o advogado somente protocolou a ação em 17 ou 27 de janeiro do ano passado (no atual governo). Em seguida, informou os nomes de seis motoristas que viajam a São Paulo, havendo um rodízio entre os motoristas. Marquinho argumentou que somente seis viajam a São Paulo, ficando sobrecarregados e trabalhando muito. Ou seja, sendo penalizados por aqueles não vão à capital paulista. Sobre o processo dos motoristas, o vereador lembrou que a administração anterior promoveu o concurso público e completou doze motoristas. Cida concluiu informando que os demais motoristas viajam para Poços de Caldas, Belo Horizonte, Ribeirão Preto e Alfenas, considerando ainda um motorista que fica de plantão.

DEFESA DOS SERVIDORES

A vereadora Rosária comentou resposta do Executivo em atendimento a ofício de sua autoria. No documento, o Executivo manifestou seu entendimento sobre a necessidade de valorização dos servidores e que já está tomando todas as medidas necessárias. Inclusive, já assinou contrato com o Instituto Brasileiro de Administração Municipal (IBAM) visando a elaboração dos projetos de revisão do Estatuto dos Servidores Públicos Municipais, de reestruturação administrativa, de Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos, além do Sistema de Avaliação de Desempenho, de Estatuto e Plano de Carreira e Remuneração e Sistema de Avaliação do Magistério Público.

CONCURSO VAI “CADUCAR”

O vereador Ricardo Prado comentou seu voto contrário à criação dos cargos de motorista e contador. Justificou que seria favorável que fosse “em separado”, reconhecendo a necessidade de motorista para a área de saúde. Alertou que o concurso vai vencer em novembro, “caducando” de todas as vagas. Assim, entende que a prefeitura deveria fazer um estudo de todos os setores e parar com a atitude de tentar abrir vaga em toda reunião da Câmara. Também deve lançar um concurso público para 2019 de todas as vagas necessárias.

Ricardo ainda solicitou o envio de ofício reivindicando a troca de lâmpadas queimadas na iluminação pública da cidade e providências quanto a depósito de lixo no bairro Vila Rica. Sugere uma fiscalização a respeito, identificando o responsável e tomando as providências legais cabíveis. Por fim, reivindicou a execução de rede de esgoto na Rua João Lopes, pedido também feito pelo vereador Gilmar.

OTIMISMO

O presidente Claudinho considerou normal os “ânimos exaltados” em determinados momentos. Voltou manifestar seu respeito aos posicionamentos contrários e independência no voto. Em seguida, confessou seu otimismo com outras ações e também comentou a recuperação da máquina Patrol. Afirmou que a construção de casa popular é uma questão de honra para o município.