Vereadores de Monte Belo homenagearam o peão Giliard

Publicado em 20/05/2018 - legislativo - Da Redação

Vereadores de Monte Belo homenagearam o peão Giliard

A reunião do Legislativo de Monte Belo no dia 15 de maio foi marcada por manifestações de pesar ao jovem montebelense Gilliard Antônio, de 24 horas, profissional do rodeio que faleceu durante montaria em evento na cidade de Maringá/PR. Destaque ainda para intenso debate sobre projeto que ratifica o protocolo de intenções para a criação do CIMOG.

EMOÇÃO E HOMENAGENS A GILIARD

O vereador Ricardo Prado fez a leitura de uma homenagem ao jovem Giliard, lembrando que o mesmo recebeu honraria na Câmara de Monte Belo em 2016, por sua iniciativa e aprovação de todos os vereadores. Confira nesta página a íntegra do texto citado pelo vereador.

O vereador Nilsinho lamentou o falecimento, dizendo que viu o jovem nascer e crescer. Uma pessoa que sempre buscou o seu sonho, chegando ao título de campeão. Na certeza de que foi recebido por Deus de braços abertos, pediu força para a família.

A vereadora Cida chegando às lágrimas, falou da dor da família ao perder o filho em plena juventude. Pediu paz e conforto para a família, especialmente à mãe do jovem campeão. Destacou que Giliard cumpriu a sua missão e seu destino na vida.

O vereador Biscoito também pediu bênçãos divinas à família do jovem montebelense.

O vereador Marquinho Tranches declarou que era um dia triste para a cidade que perdeu um campeão. Agradeceu o jovem pelo fez pelo município, sendo que Monte Belo foi representado em todo o país. Também desejou forças à família neste momento de perda e grande dor.

O vereador Pezão confessou sua grande tristeza, destacando que Giliard sempre alegrou a todos por onde passou. Pediu as bênçãos de Deus e conforto à família.

O presidente Claudinho também lamentou o triste fato, pedindo que Deus conforte o coração de toda a família. Dirigiu elogios à personalidade do jovem que conhecia deste criança.

A vereadora Rosária comentou que nasceu no Distrito de Jureia, onde residia Giliard, revelando a amizade com o jovem e família. Sem palavras pela tristeza, pediu a Deus que abençoe a família e todos os amigos sensibilizados.

CIMOG GERA POLÊMICA

Foi aprovado em primeiro turno, com votação dividida e muita polêmica, o projeto de Lei 017/2018 ratificando o protocolo de intenções firmado entre os municípios de Arceburgo, Areado, Bom Jesus da Penha, Botelhos, Cabo Verde, Guaranésia, Guaxupé, Jacuí, Juruaia, Monte Santo de Minas, Monte Belo, Muzambinho, Nova Resende e São Pedro da União, com a finalidade de constituir consórcio, na modalidade de associação pública, denominado Consórcio Intermunicipal da Baixa Mogiana (CIMOG). O projeto recebeu quatro votos contrários (Gilmar Ferreira, Marquinho Tranches, Rosária e Biscoito) e quatro votos favoráveis (Nilsinho, Cida, Pezão e Ricardo). O presidente Claudinho desempatou de forma favorável e o projeto foi aprovado em primeiro turno.

O vereador Nilsinho comentou que a aprovação do projeto proporcionará uma grande recompensa. Manifestou respeito a opinião de todos os colegas vereadores e a certeza de que no próximo projeto haverá um entendimento melhor sobre o consórcio.

O vereador Gilmar Ferreira justificou seu voto contrário, citando a AMOG. 

Nilsinho interviu dizendo que a AMOG é uma associação privada e o CIMOG será um consórcio público. Assim, não há qualquer relação. Também afirmou que através do consórcio a região poderá receber muitos projetos através do governo, o que não pode ocorrer através da AMOG.

Marquinho Tranches lembrou que já aprovou um projeto de consórcio da AMOG em 2007, que levou R$ 700 mil de Monte Belo e não fez nada em prol do município (consórcio do lixo). Assim, é preciso saber se o projeto realmente é bom. “Cautela e caldo de galinha não faz mal a ninguém”, disse. Mas avisou que estará pronto para aprovar o próximo projeto, caso seja positivo.

Nilsinho confirmou sobre o consórcio de 2007, mas garantiu que o município de Monte Belo não teve prejuízo. Isto porque através daquele consórcio foi feito um aterro sanitário em Monte Belo para depósito do lixo. Assim, entende que o município teve o retorno necessário.

O presidente Claudinho esclareceu que o projeto aprovado autoriza a criação e não gastos com o consórcio. Depois da criação do consórcio, um novo projeto deverá ser apreciado, cabendo aos vereadores autorizar as ações em diversas áreas. Acredita que, sendo “coisa boa”, a Câmara vai aprovar.

Nilsinho ainda comentou que o presidente agendou uma reunião na tarde daquele mesmo dia (14/05), quando uma equipe do consórcio explicou o projeto. Porém, somente compareceram quatro vereadores (ele, Claudinho, Rosária e Pezão). “Quando a pessoa está preocupada e tem interesse, ela corre atrás”, disse. Em seguida, desafiou se os vereadores tem conhecimento a respeito do projeto. “Nem viram o projeto”, criticou.

Marquinho Tranches justificou sua ausência à reunião, dizendo estava consertando um mata-burro que estava quebrado há um ano. E o serralheiro só poderia naquele dia. Mesmo assim, garantiu que fez a leitura completa do projeto. “Papelzinho não estou aceitando mais não”, avisou.

Cida também justificou sua ausência, garantindo que tinha conhecimento a respeito do projeto. Acrescentou que o projeto visa apenas a criação do consórcio, sendo que depois será analisado o que será melhor para a população.

Biscoito seguiu o pensamento do colega Marquinho e disse: “De papelzinho, estou cansado”. Afirmou que também já leu todo o projeto. E avisou: “Não vai votar nada a goela abaixo mais não”. Garantiu que será favorável às boas ações para a população de Monte Belo.

Nilsinho manifestou a certeza de que Biscoito não viu o projeto, sendo de oposição Em seguida, afirmou que o projeto visa o bem do povo. Biscoito concordou ser de oposição, mas lembrou que até o momento foi favorável em todos os projetos.

Gilmar Ferreira concordou com o colega Biscoito no sentido de que faz parte da oposição. Em seguida, comentou que nunca ouviu falar que consórcio é lucro. Então, prefere aguardar para saber os benefícios para o povo e funcionamento efetivo do consórcio. Por fim, lembrou que o projeto está na Câmara há dois meses e sempre avisou que seria contrário.

Pezão justificou seu voto favorável, pois entendendo os esclarecimentos prestados pela equipe do consórcio. Acredita que será muito bom para a administração e população de Monte Belo.

Rosária concordou com os esclarecimentos prestados sobre o consórcio, mas lembrou o impasse com o consórcio do lixo. Além disso, um ex-prefeito da região está sendo processado neste ano. Mas sempre estará disposta e pronta para votar o que for favorável ao povo.

Ricardo Prado justificou sua ausência na reunião porque estava em horário de trabalho na escola. Ainda explicou que somente votou favorável porque estava ciente de que o projeto visa apenas a criação do consórcio. Além disso, a AMOG vem ajudando na área de educação e maquinário.

O presidente Claudinho revelou que atendeu um pedido de diversos vereadores, principalmente do vereador Marquinho, marcando uma reunião para esclarecimentos sobre o projeto. Claudinho agradeceu a aprovação deste e outros projetos na reunião.

APROVADOS

Foram aprovados por unanimidade, os seguintes projetos de Lei:

- PL 023/2018 autorizando a abertura de crédito adicional suplementar no valor de R$ 200 mil para aquisição de um caminhão pipa, conquista viabilizada através do deputado federal Odair Cunha, quando o mesmo atuava como Secretário de Estado de Governo;

- PLC 002/2018 dispondo sobre a instalação de forte anteparo metálico e dispositivo de segurança com nebulização de fumaça no local onde se encontram caixas eletrônicos dos estabelecimentos bancários e cooperativas de crédito;

- PLC 003/2018 dispondo sobre a obrigatoriedade de instalação de guarda-volume em estabelecimentos bancários e cooperativas de crédito no âmbito do município de Monte Belo;

- PL do Legislativo 004/2018 dando denominação à rua sem denominação no bairro Industrial, passando a denominar-se “Rua José Augusto Martins”.