A diferença faz a diferença

Publicado em 26/06/2018 - ivan-pereira - Da Redação

A diferença faz a diferença

Para não ser esquecido é preciso se diferenciar. Isso vale tanto para o marketing de produtos como para o marketing de políticos, de governos ou instituições. Ser diferente é extremamente importante, uma vez que vivemos numa sociedade com excesso de informações (e agora cada vez mais) e precisamos sempre destacar nossas qualidades, opiniões e valores. O político contemporâneo tem o privilégio e a oportunidade de poder aprender com as lições das grandes marcas do mercado. Bombril “tem 1001 utilidades”, Volkswagen é diferente porque é “confiável”, Casas Bahia é diferente porque “vende mais barato”, TIM “viver sem fronteiras”, e assim por diante.

O marketing comercial utiliza essa estratégia para que o consumidor tenha elementos de comparação entre as marcas concorrentes. Se existem várias operadoras de celular, tenho que agregar algum valor ao produto que o torne diferente dos demais, que faça com que ele seja lembrado mais facilmente e de forma positiva pelo consumidor. Só assim ele vai comprá-lo e até pagar mais por ele. E isso precisa ser reavivado na sua memória o tempo todo através da comunicação.

No marketing político, especialmente no eleitoral, é a mesma coisa. Imagine uma eleição para deputado estadual em Minas Gerais, com 77 vagas na e em média 1000 candidatos. Em apenas 45 dias de campanha, cada candidato a deputado deverá estabelecer dezenas de canais de comunicação com o eleitor, criando assim, um congestionamento de informações. Como o eleitor comum inicia seu processo de escolha apenas 15 dias antes do pleito e o cérebro humano funciona de forma seletiva – absorvendo apenas o que interessa – grande parte da propaganda eleitoral terá sido em vão.

Entretanto, se um desses candidatos começar a trabalhar mais cedo e realizar uma campanha diferente, baseada em um bom diagnóstico com planejamento consistente, escolher um posicionamento bem definido e distinto dos demais, adotar uma estratégia eficaz de comunicação, apresentar projetos ou propostas críveis e direcionar seus esforços para os eleitores certos, obviamente ele terá seu nome lembrado no dia da eleição. Para isso, é claro, precisa-se contar com profissionais especializados em cada área: consultoria estratégica, pesquisa, planejamento, comunicação, assessoria política e jurídica. 

Candidato, não conte apenas com a sorte!