Saiba quem tem direito aos saques do PIS/Pasep

Publicado em 10/01/2018 - geral - Da Redação

Saiba quem tem direito aos saques do PIS/Pasep

Mudanças feitas pelo Governo do Brasil ampliam direito aos valores disponíveis nos fundos de participação dos programas
Antigos conhecidos dos brasileiros, PIS e Pasep começam 2018 com novidades. As regras para os saques dos benefícios mudaram. Agora mais gente vai poder sacar: são mais de 4,5 milhões de cotistas que devem fazer o resgate de R$ 7,8 bilhões. Isso só será possível devido a uma medida provisória que ampliou os direitos dos trabalhadores mais velhos. Confira abaixo as principais informações sobre os programas e veja se você está entre as pessoas que podem receber um dos benefícios.
O que são o PIS e o Pasep: 
O Programa de Integração Social (PIS) e o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) foram criados em 1970. Por quase 20 anos, eles funcionaram como uma poupança particular. A cada ano, o trabalhador tinha direito a receber o rendimento das cotas e podia sacar todo o crédito em caso de aposentadoria, doença grave ou ao completar 70 anos. O PIS é destinado aos trabalhadores da iniciativa privada e pago pela Caixa. Já o Pasep, aos servidores públicos e é pago pelo Banco do Brasil.  
O que mudou: 
No fim do ano passado, o Governo do Brasil publicou uma Medida Provisória que antecipa a idade mínima para saques do PIS/Pasep. Isso significa que mais gente passou a ter direito ao benefício mais cedo.
Quem tem direito: 
  • Pessoas com mais de 60 anos  
  • Aposentados 
  • Herdeiros de cotistas falecidos 
  • Militar transferido para reserva remunerada ou reforma  
  • Pessoas com deficiência alcançadas pelo Benefício da Prestação Continuada 
Como sacar:  
Para verificar se tem direito aos saques, o trabalhador deve acessar os sites www.caixa.gov.br/cotaspis e www.bb.com.br/pasep. Para quem tem conta em um desses bancos, o valor será creditado automaticamente a partir do dia 22. Outras formas de pagamento também podem ser consultadas nessas páginas. 
Fontes: Governo do Brasil, com informações da Caixa e do Ministério do Planejamento