Conexão Educar promove educação ambiental no Sul de Minas

Publicado em 08/06/2018 - geral - Da Redação

Conexão Educar promove educação ambiental no Sul de Minas

Cemig e educadores  apostam em ações contínuas para multiplicar conhecimentos sobre eficiência energética 

O Conexão Educar, promovido pela Cemig, reuniu 100 educadores de sete municípios do Sul de Minas para debater a educação ambiental e práticas de eficiência energética que contribuem para a redução do consumo e a conservação dos recursos disponíveis. 

Durante o encontro, a diretora educacional Simone Merlo de Souza, da Superintendência Regional de Ensino (SRE) de Pouso Alegre, destacou que simples ações trabalhadas com os alunos podem surtir efeitos significativos. “Nós precisamos criar mecanismos para que os alunos sempre estejam em contato com práticas sustentáveis necessárias”, afirmou. 

Ainda segundo Simone de Souza, como forma de incentivar esse pensamento ecológico, parte das escolas integradas à SRE já cultiva hortas sustentáveis, cujos alimentos produzidos são utilizados nas refeições dos alunos. 

Para estender iniciativas como essa à temática da energia, a diretora pedagógica Janaína Clara de Moura França Andrade, do Colégio Tiradentes de Pouso Alegre, ressaltou como as particularidades das disciplinas podem ajudar na transmissão de conhecimento. “Podemos trabalhar a construção de infográficos e interpretação de gráficos e estatísticas, considerando, por exemplo, o consumo de eletrodomésticos e comparando seus efeitos sobre as contas de energia”, afirmou. 

Para Janaína Andrade, o Conexão Educar, iniciativa do Programa Energia Inteligente da Cemig, foi uma oportunidade de renovar os pensamentos sobre o uso racional da energia. “Como estamos no ambiente escolar e temos a missão de educar crianças e jovens, temos conhecimento das questões sustentáveis, mas, por vezes, isso se detém a dicas engessadas”, contou. 

Ainda de acordo com Janaína, a capacitação também compreende um novo olhar que deve mudar sua própria relação de consumo em casa. “O projeto chega com um caráter multiplicador que perpassa a sala de aula. Todos nós precisamos perceber que não vivemos em um mundo de sobras. Quando temos algo em abundância, significa que pode haver a escassez para o outro”, sensibilizou.

ascom