Alunos de escolas públicas aprendem sobre a fabricação do Queijo Minas Artesanal

Publicado em 03/05/2018 - geral - Da Redação

Alunos de escolas públicas aprendem sobre a fabricação do Queijo Minas Artesanal

Cursos promovidos pela Emater-MG são dados na região da Serra da Canastra 

 A tradição e os detalhes da produção do Queijo Minas Artesanal na região da Serra da Canastra chegaram às salas de aula.  Um projeto criado pela Emater-MG, no município de Arcos, está mostrando para as crianças o processo de fabricação do queijo, desde a ordenha no curral até o produto final.  

O projeto, conhecido com Arca da Aliança Rural e Urbana Sustentável (Arus), já mobilizou escolas públicas dos municípios de Arcos, Pains e Japaraíba. A ideia é unir as práticas de fabricação de queijo com as disciplinas tradicionais das escolas.  “Eles vão ver essas disciplinas, associadas à realidade na propriedade rural. Este é o ponto chave: correlacionar a teoria recebida com a produção do queijo. Aprendendo, por exemplo, a porcentagem do coalho para colocar no leite e as transformações químicas”, explica o extensionista da Emater-MG em Arcos e idealizador do projeto, Zenaido Fonseca.  

Desde o final do ano passado, já foram realizados três cursos. Os alunos são levados a uma propriedade rural, onde podem ver de perto todo o processo de fabricação do queijo, que ficou conhecido como Queijo Agroecopedagógico.  O técnico da Emater e especialista da área,  Mozair José Pinto,  é quem dá as instruções para as crianças. “A gente tem a oportunidade de passar para eles a prática do dia a dia das propriedades e um pouco da cultura e da tradição de fazer o Queijo Minas Artesanal. Assim, vamos garantir uma geração com mais informações sobre este produto tão apreciado pelos mineiros, e que vai valorizar o trabalho no meio rural”, comenta.  

Aluna da 6ª série da Escola Municipal Laura Andrade, em Arcos, Jenifer Rocha conta que já viu a avó fazer queijo, mas foi a primeira vez que colocou a mão na massa. “A gente aprendeu muito sobre o queijo, sobre as vacas e como utilizar os equipamentos. Aprendemos também como apertar a massa para sair o soro e que todo dia tem que virar o queijo para ele ficar bom”, ensina a jovem aprendiz.  No dia 4 de maio, os alunos da escola irão retornar à propriedade para degustar o queijo que ajudaram a fazer coletivamente.  

Parceria 

 Os pais dos alunos também puderem participar das práticas nas propriedades rurais. A diretora da Escola Municipal Laura Andrade, Kátia Rodrigues Silva,  ressalta a parceira feita com a Emater-MG. “Nós temos que estar interligados, o conteúdo com a prática. Além disso, foi muito bom contar com a presença dos pais. Foi muita satisfação ver no rostinho de cada um dos nossos alunos a alegria em participar desta iniciativa”.  

O projeto Arus é desenvolvido em conjunto com a prefeitura de Arcos e conta  com apoio da cooperativa Sicoob União Centro-Oeste e das empresas Embaré e Matsuda. 

 

Valorização do campo 

Zenaido Fonseca explica que o projeto Arus foi criado para valorizar o campo e dar novas opções para a economia da região quando, futuramente,  não houver mais a atual extração de calcário. Além da prática com o queijo, envolvendo as escolas, também estão sendo desenvolvidos um projeto para aumento da produtividade da cultura da mandioca, outro para produção e venda de mudas de capim e ações para acolhimento de menores, com ensinamentos agroecológicos. Por intermédio do Arus, já foram desenvolvidas outras ações ambientais, com plantio de mudas e construção de barraginhas para captação de águas das chuvas.  

O técnico da Emater-MG explica que ao final da primeira etapa do projeto com as crianças, será elaborado um livro com os detalhes da iniciativa para que possa ser adotada por qualquer escola interessada. 

 

 Assessoria de Comunicação –  Emater-MG / Jornalista responsável: Marcelo Varella