Lima x Limão - Edição 1160

Publicado em 20/09/2013 - estevao-bortoloti - Estevão Bortolotti

A DOR DA SAUDADE – HOJE NÃO QUERO FICAR TRISTE. Estou otimista, alegre, inspirado a mais não poder. Vou agora mesmo pegar paleta, tintas e pincéis e trabalhar no quadro que comecei há cinco dias. É uma paisagem rural composta de um rio serpeando por um vale verde e florido onde se destaca uma choupana, animais, árvores e crianças brincando, e porque não quero ficar triste, todas elas trazem nos lábios um bonito sorriso. Até alguns pássaros e animais de tração que descansam à sombra das árvores de tão tranqüilos, também até parecem sorrir. 

Mas a visão do rio, apenas iniciado, traz a lembrança o RIO DO CHICO PEDRO onde nos meus saudosos tempos de moleque travesso e em companhia de outros moleques também levados da breca eu ia reinar, nadando e pescando com vara ou peneira, dourados lambaris. Depois veio-me a lembrança o Dorfo (Adolfo), meu querido irmãozinho, o caçula da família do Senhor Luiz Padeiro e da Dona Paulina, que como todos os outros da família já partiu para a eternidade. O Dorfo, que na sua infância era franzino e medroso e vivia e brincava debaixo da minha proteção e uma vez adolescente foi se transformando em um rapagão alto, forte e bonito, mas com o tempo foi se perdendo no vício do álcool. Lembrei-me de mamãe, aquela mulher robusta, forte em todos os sentidos, mas da coração de manteiga derretida de quem herdei este hábito, às vezes até mesmo patético de sentir e chorar muito. Mamãe, sempre as voltas com o trabalho duro no fogão de lenha molhada e os panelões de pedra ou ferro fundido. Meu pai herói que mesmo com a numerosa família para criar e dar o necessário sustento enquanto amassava e assava o pão, passava as noites e madrugadas cantando baixinho e com a voz rouca SOLE MIO e MÂMA, provavelmente saudade dos da família que lá ficaram na Itália, em Luca, seu torrão natal. Minhas irmãs, costurando na máquina, bordando ou com seus cadernos de poesias românticas ou ainda debruçadas na janela olhando a rua de poças e terra molhada pela chuva e pensando... no que pensavam as moças daqueles tempos? Depois o pensamento voou através dos anos, venceu tempo e distâncias, ignorou tantos outros fatos passados, coisas boas e outras nem tanto e então ficou lembrando o problema dos meus dois filhos que mesmo honestos e capacitados tiveram que sair da terra natal e do convívio da família para buscar a vitória em terras distantes. O azul das águas do meu rio e o intenso colorido das minhas flores campestres trouxeram-me a memória ao mesmo tempo a recordação doce e amarga dos olhos e da face da minha filha Júnia, tão linda, tão crente, tão alegre e comunicativa, tão ainda praticamente no começo da vida e que Deus entendeu de chamar para SI privando a mim, seus filhos, seus irmãos e minha esposa da sua insubstituível presença.

HOJE NÃO QUERO FICAR TRISTE. NÃO QUERO.. NÃO QUERIA.. A garganta dói, sinto nos lábios o sabor salgado das lágrimas abundantes que respingam na roupa e na tela do meu quadro. É justamente quando meu neto Lucas, menino de 7 anos e muito vivo, aparece a porta do meu ateliê e quieda-se olhando-me. Algo espantado e perguntando: Uai, porque o vovô está chorando? Passo as mãos pelo rosto molhado, refaço-me o melhor possível e respondo: nada não Luquinha. É apenas a dor de cabeça. IA EU DIZER PRA ELE QUE A DOR ERA NO CORAÇÃO!?

Quinta-feira, 06 de setembro de 2013

23:30 da noite. - “Tézo” Bortolotti

LIMA BEM FRESQUINHA E DOCE – Para a senhorita MARIA APARECIDA, mulher culta e valente que luta pelos seus direitos e pela ordem e tranqüilidade da sua, da NOSSA Muzambinho. A Maria Aparecida é filha do infelizmente já falecido Messias Gomes de Melo que foi grande prefeito e vereador, além de fazendeiro e comerciante em nossa cidade. Foi o cidadão mais ponderado, gentil e educado que a cidade já teve e deixou saudade no coração de todos que com ele conviveram. Parabéns Cida!

UM LIMÃO BEM AZEDO – PARA UM CERTO JOVEM DE UMA CERTA LOJA LOCAL que dias atrás, em uma reunião na nossa Câmara Municipal pediu a palavra e entre outros absurdos afirmou que, vedado o direito dos jovens se divertirem, estes fugirão daqui e Muzambinho acabará virando UMA CIDADE DE VELHOS, como se o ato de envelhecer fosse coisa ruim e até vergonhosa para uma comunidade! Caro jovem, ficar velho é bonito, é questão de orgulho, é condição necessária para se adquirir perfeita sabedoria. E é graças a sabedoria de uma porção de idosos que o mundo vem transformando e melhorando cada vez mais para vocês. Aprenda, assimile esta verdade, a menos que você não tenha tido avós e pais sendo um bebê de proveta ou filho de uma chocadeira elétrica. TÁ BÃO!

CALÇADA “ENTUPIDA” – Reclamações de pedestres que transitam a noite pela calçada da Avenida Dr. Américo Luz frente a Sorveteria Zero Grau. Além da mesa e cadeiras espalhadas e ocupadas por freqüentadores da casa uma placa grande de propaganda atravessada no restante da calçada obriga a gente a contornar carros e motos estacionados no meio fio, situação humilhante e perigosa para gestantes, cadeirantes, crianças e idosos. E OS PROPRIETÁRIOS QUE NEM DESCONFIAM!

“CAIMOS DO CAVALO” – Caro amigo leitor, às vezes fico pensando como é que já com oitenta anos de idade e amplo conhecimento do caráter humano ainda não consegui inteligência o bastante para saber “separar o joio do trigo”, chegando a ponto de acreditar piamente e até elogiar, promover e apoiar quem provou e continua provando de sobejo que não merece se quer uma pequeníssima fração da minha confiança e respeito? Errei, ou melhor, ERRAMOS FEIO, eu e nossa comunidade quase no seu total, estamos pagando caro por este vacilo e agora só nos resta orar pedindo a Deus que tenha pena de nós e da nossa querida cidade, propiciando um milagre, uma reviravolta nos fatos escabrosos que vem acontecendo. E o que é muito importante, prometendo a nós mesmo que no futuro agiremos com mais inteligência comparando, pesando, avaliando e escolhendo o infinitamente melhor!

O POVO PERGUNTA – O Deputado Federal Odair Cunha (PT) falando sobre o programa Bolsa Família: “Nestes 10 anos com o Bolsa Família, o governo federal tem garantido melhores condições de vida às famílias brasileiras. São mais de 30 milhões de pessoas fora da extrema pobreza. O investimento anual do governo foi de 24 bilhões de reais.” Muito bonito Sr. Deputado, só que na citada transferência de renda, quem arcou com ela e com o prejuízo foi o pobre, ex-operário aposentado por tempo no serviço ou invalidez que ainda assiste sua magra pensão, não atualizado, diminuir progressivamente. Portanto, esta manjada transferência de renda, está prejudicando milhões de brasileiros que ajudaram muito no progresso do Brasil e lutaram durante 40 ou 50 anos para ter o direito de uma velhice sossegada e digna. O senhor acha correto tirar da miséria milhões de brasileiros pobres e para tanto por na miséria outros milhões de operários brasileiros aposentados? É JUSTO E CORRETO FAZER ALEIJADOS PARA CURAR CEGOS!? ESSA NÃO, SENHOR ODAIR!

TEM GRAÇA? – Tô avisando: o primeiro pesquisador ou idiota ou cupincha que me falar que a inflação está controlada leva uma bruta tijolada no cocuruto, porque a única coisa que não sobe neste país é a aposentadoria de ex-operário pobre afastado pelo INSS e justamente aquele que mais contribuiu com o crescimento da nação, e que atualmente está abaixo dos privilegiados do Bolsa Família. Raro é o dia em que a indústria, os grandes atravessadores e o comércio em geral não majoram o preço dos seus produtos enquanto por cima ainda roubam no peso e na qualidade, isso impunemente enquanto os menos privilegiados – o grosso da população – tem mais é que se curvar e pastar. Enquanto os institutos de pesquisas teimam em querer nos enganar constantemente, pregando deflação nas casas comerciais os preços dia-a-dia dão saltos triplos de fazer inveja ao João do Pulo. De uns meses para cá, noventa por cento dos produtos dobraram, triplicaram e alguns até quadruplicaram de preço. E teimam em ir na televisão dizer “QUE ESTÁ TUDO SOB CONTROLE”. GOZADO NÉ MEMO!

O POUCO COM DEUS É MUITO. O MUITO SEM DEUS É NADA.

Amigo leitor, não se esqueça de Deus!