Muzambinhense relata experiência na eleição de Angola

Publicado em 07/10/2017 - especial - Da Redação

Muzambinhense relata experiência na eleição de Angola

O muzambinhense Isaias Faria de Abreu atuou como observador internacional do Brasil nas eleições ocorridas em Angola no mês de agosto. Durante entrevista ao programa Fatos.Net (TV Web), parceria entre este jornal e o Portal muzambinho.com, com apresentação do jornalista Amauri Júnior, ele falou sobre o carinho por Muzambinho e a experiência vivida no país africano.


ORIGEM EM MUZAMBINHO
Isaías lembrou a formação estudantil inicial na Escola Estadual Cesário Coimbra, bem como a infância vivida na antiga Praça dos Andradas na década de 1960. Sua família é numerosa, com a base em Muzambinho. Mas atualmente conta com apenas um irmão (Maé) residindo na cidade. Outros residem em Brasília/DF, São Paulo/SP e Belo Horizonte/MG. Muitas vezes, o ponto de encontro é exatamente Muzambinho, uma cidade querida por todos. “Você pode sair deste lugar, mas este lugar não sai do seu coração e de sua vida”, disse. Por onde passa em Brasília/DF, tem muito orgulho ao dizer que nasceu em Muzambinho, falando então das virtudes da cidade. “Falo das montanhas, do café e da alegria do povo”, falou.

MÃE CENTENÁRIA
Dona Diva completou 100 anos e mereceu uma grande festa familiar na capital federal. Nasceu em Belo Horizonte, mas tem Muzambinho como sua cidade de coração. Até porque foi em Muzambinho onde nasceu a maioria dos seus 18 filhos. “Muzambinho também é a marca da família fértil, unida e tradicional mineira”, declarou. A comemoração pelos 100 anos mereceu, inclusive, reportagem especial no SBT.

45 ANOS EM BRASÍLIA/DF
A transferência para a capital federal aconteceu em 1972, iniciando sua vida pessoal e complemento dos estudos. Aos 18 anos de idade, passou a trabalhar no Itamaraty, Ministério das Relações Exteriores, onde permaneceu por 12 anos. Assim, conheceu a diplomacia brasileira e passou a ter uma ampla visão sobre as questões mundiais. Em seguida, aos 30 anos de idade, passou a trabalhar no Senado Federal, onde está há mais de 25 anos. No ano passado, foi convidado pelo Ministro Gilmar Mendes (quando assumiu o Tribunal Superior Eleitoral) para a chefiar a Assessoria de Articulação Parlamentar. Tem, portanto, a missão de fazer uma conexão entre a Justiça Eleitoral Brasileira e o Congresso Nacional (Câmara e Senado), observando os interesse de matérias relativas à justiça eleitoral.
No Senado Federal, o muzambinhense trabalhou com políticos de expressão nacional como Marina Silva, Paulo Paim e Renato Casagrande, sendo que com este último foi agraciado com o título de Cidadania Espírito-santense. Chefiou CPIs, sendo que conheceu muitos países. Agora, no TSE vem usando todo seu currículo para ajudar o Judiciário, fazendo uma interação com o Congresso.
Vale destacar o brilhantismo profissional de Isaias Faria de Abreu. Isto porque trabalhou no Poder Executivo por 12 anos, no Poder Legislativo por 25 anos e agora trabalha há 2 anos no Poder Judiciário. Ou seja, teve a oportunidade de dar importante contribuição aos três Poderes da República.

OBSERVADOR EM ANGOLA
Isaias foi o único brasileiro a integrar uma missão da CPLP - Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, composta Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste, nas eleições que aconteceram em Angola no último mês de agosto. Para ele, foi uma experiência extremamente rica. Isto por se tratar de um país que recentemente baixou a bandeira da guerra e ainda busca sua organização.
Nesta oportunidade ímpar, Isaias relata que as experiências foram muitas. Observou, por exemplo, uma senhora com 90 anos e analfabeta, votando e reconhecendo que o seu voto estaria contribuindo para a consolidação da paz. Toda propaganda eleitoral feita no país, primeiro destacou a paz e depois a democracia. O comprovante de votação em Angola é uma tinta azul colocada no dedo da pessoa votante e que permanece por 24 horas. “O que mais aprendi lá foi o respeito e carinho que eles tem pelas pessoas idosas”, contou.

IMPORTÂNCIA DO VOTO
Diante de tão importante experiência, o muzambinhense falou também sobre a importância do voto, considerando as eleições gerais no Brasil em 2018. “O voto é a expressão máxima da democracia e não pode ser desvinculado do seu representante”, disse. Ou seja, o voto é carregado de esperança, desejo e uma responsabilidade civil. Todos devem votar, mas acompanhando o seu candidato, cobrando, exigindo e participando do mandato. Também afirmou que “primeiro o cidadão deve ser melhor para depois exigir um país melhor”.