Maior conquista olímpica da AMOG em Matemática

Publicado em 11/11/2018 - educacao - Da Redação

Maior conquista olímpica da AMOG em Matemática

Muzambinho e região vem colecionando resultados fantásticos de olimpíadas de Matemática com o trabalho do Prof. Otávio Sales no PODEMOS. Inclusive é um trabalho que você pode incluir seu filho, pois é um trabalho amplo e gratuito.

Nessa semana ótima notícia foi recebida: o estudante Otávio Barbosa, de 15 anos, da EE Prof Pedro Saturnino de Magalhães, foi convidado para fazer a Fase Final da Olimpíada Brasileira de Matemática, em um seletíssimo grupo, indicando que ele ficou entre os 300 mais bem colocados do Brasil na OBMEP entre estudantes de escola pública e privada.

OTÁVIO BARBOSA

Otávio Barbosa é natural de Cabo Verde, filho da professora Aldinéia e do agricultor César. Estudou a maior parte da vida em escolas públicas, tendo uma pequena passagem pelo Colégio Lyceu em Muzambinho no 5º ano.

No 6º ano foi premiado como Menção Honrosa da OBMEP e começou a fazer aulas com o prof. Otávio Sales em Muzambinho, como bolsista do PIC – Programação de Iniciação Científica do IMPA. No 7º ano, quando havia estudado apenas 3 meses no PIC, repetiu outra Menção Honrosa da OBMEP.

Em 2017, no 8º ano, que seus resultados aceleraram. Se tornou aluno do prof. Otávio Sales na classe regular do ensino fundamental, quando este assumiu o cargo efetivo na EE Prof. Pedro Saturnino de Magalhães, em Cabo Verde. Além de ser aluno do prof. Otávio em 6 aulas semanais, participava no PIC em Muzambinho e das aulas de treinamento.

No ano de 2017 foram três medalhas: Prata no Canguru de Matemática, Bronze na OBMEP e Bronze na Olimpíada de Matemática da UNICAMP.

Na Olimpíada de Matemática da UNICAMP foi um feito extraordinário, tendo em vista que foi o único estudante de escola pública premiado nesse evento, dominado por estudantes de escolas privas.

Em 2018 foi novamente Prata no Canguru de Matemática e classificado para 3ª Fase da Olimpíada de Matemática da UNICAMP, não logrando êxito.

Durante o ano de 2018 seus estudos intensificaram com o prof. Otávio, sendo aluno de diversos cursos: do PODEMOS “B”, do OBMEP na Escola, do curso preparatório para 2ª e 3ª fase da OMU, do curso preparatório para 2ª fase da OBMEP, de aulas de treinamento para Canguru e OMM e de aulas preparatórias para o vestibular do IFSULDEMINAS, além de fazer o PIC como bolsista com o prof. Juan Reuel.

OBMEP E OBM

A OBMEP está na 14ª edição e é bastante conhecida, por atingir todo o Brasil e ter inúmeros projetos, inclusive bolsas de iniciação científica que beneficiaram dezenas de estudantes da região. 

Mas existe uma outra olimpíada, chamada OBM, atualmente na 39ª edição, sendo a 2ª olimpíada mais antiga do Brasil (perdendo apenas da Olimpíada Paulista de Matemática, criada dois anos antes).

A OBM é a olimpíada oficial do Brasil reconhecido pelos órgãos internacionais de olimpíadas científicas. Em 2005 foi criada a OBMEP, onde o EP significa “Escola Pública”. A OBM continuou existindo em 3 fases.

A 1ª fase da OBM era uma prova de 20 a 25 questões (dependendo do nível), em estrutura bem similar com a OBMEP, mas com um nível um pouco mais avançado, por atender inclusive estudantes de Escolas Privadas.

A 2ª fase da OBM era similar à 2ª fase da OBMEP, composta de 6 questões. E ainda existia a 3ª fase da OBM, realizada em 2 dias, com 3 questões cada. A fase final da OBM seleciona estudantes para as olimpíadas internacionais de Matemática (Mayo, do Cone Sul, Íbero Americana, Internacional, entre outras).

Em 2017 a 1ª e a 2ª fase da OBM foram extintas e passou a valer a 1ª e 2ª fase da OBMEP como fases iniciais da OBM, incluindo os alunos das escolas privadas. Com isso a seleção de estudantes para a concorridíssima 3ª Fase da OBM, hoje Fase Final da OBM, passou a ser feita pela OBMEP.

A OBM é a olimpíada oficial brasileira, e a prova que Otávio Barbosa fará é a mais importante prova olímpica do Brasil.

A Fase Final da OBM é tão concorrida que alguns medalhistas de ouro da OBMEP não são convocados. A OBMEP tem 3 classificações: alunos de escola pública comum, aluno de escola pública seletiva, aluno de escola privada, sendo que um Menção Honrosa de escola privada tem nota melhor que um Medalhista de Ouro da OBMEP. Otávio Barbosa foi convidado sendo aluno de escola pública comum!

CONTEXTO REGIONAL

Para entender a dimensão do feito, basta imaginar que nenhum estudante de Poços de Caldas e Alfenas foram convocados.

Da Região MG09, foram aprovados 6 alunos: 1 de Cabo Verde (Otávio Barbosa), 1 de Passos, 1 de Fortaleza de Minas, 1 de São Sebastião do Paraíso (Luiz Felippe Azevedo Cândido, convocado pela 2ª vez) e 2 de Alpínópolis.

Em 2017, a primeira vez que a OBMEP foi usada como fases de acesso para OBM, a região teve apenas 2 aprovados, além de Luiz Felippe, a estudante Carolina Cury, do Colégio Tiradentes da Polícia Militar de Passos, também aluna do prof. Otávio Sales.

Os medalhistas de ouro da AMOG em 2017, Igor Caproni (Guaxupé) e Thiago Labanca (Muzambinho) não foram convocados para OBM ano passado.

Historicamente há poucas vezes que a AMOG teve representantes na OBM, nas 38 edições anteriores da olimpíada. 

O engenheiro Lucas de Freitas Smaira, de Guaxupé, filho do prof. universitário de Matemática Luís Smaira, foi o único medalhista da OBM da região, e 3 vezes: 2011, 2010 e 2009, além de ter sido Menção Honrosa em 2007. Lucas ainda tem uma Prata e um Bronze na OMM (2007 E 2006), sendo o único aluno da região a ter 2 medalhas na OMM. Ele se formou pelo ITA em Engenharia da Computação e estuda na França. Na época das premiações era aluno do Colégio Dom Inácio. Seus irmãos Nina de Freitas Smaira e André de Freitas Smaira possuem cada um um bronze na OMM, mas nunca foram premiados na OBM (além dos irmãos Smaira, há apenas mais 3 premiados na OMM na região).

Quem sabe Otávio Barbosa terá tantos prêmios e insígnias olímpicas, mesmo sendo estudante de uma escola pública? Esperamos!

Faça o PODEMOS, matricule seu filho no PODEMOS! Temos muitos projetos, e eles funcionam!

(COLABOROU: OTÁVIO SALES - MUZAMBINHO)