Curtas & Secas do Editor - Edição 1018

Publicado em 17/12/2010 - editorial -

A forte chuva, acompanhada de vendaval, que caiu em Muzambinho na tarde de terça-feira (14), apesar de não ter durado muito tempo, deixou algumas marcas. A principal delas foi a queda do presépio montado na Avenida Dr. Américo Luz, no centro da cidade.
A Secretária de Indústria e Comércio, Luzia Poscidônio e as Secretárias da Associação Comercial e Industrial de Muzambinho (ACIM), Rosângela e Patrícia, contando ainda com a ajuda de amigos, trabalharam nesta semana (que antecede o natal) para remontar o presépio e, manter o espírito natalino, que retrata a alegria, a fé e a união de todos.

A polêmica das minas interditadas

No dia 07 de dezembro de 2.010, o departamento de Vigilância em Saúde da Prefeitura Municipal de Muzambinho, interditou por tempo indeterminado 04 das populares “minas” existentes na cidade. A interdição procedeu do resultado das análises realizadas em amostras de água coletadas em 05 “minas”. A análise foi realizada pelo IFET campus Muzambinho, onde se constatou a presença de Coliformes Fecais, um indicador preciso da presença de agentes causadores de doenças.  A partir da Constituição Federal de 1988, as águas subterrâneas deixam de ser bens privados.
A água é um bem público e cabe ao poder público zelar por sua qualidade, assim como, assegurar a saúde da população.
Diante da atual situação, cabe ao poder público municipal interditar as “minas” que apresentam riscos à saúde da população.
A ilustração ao lado mostra como é fácil à contaminação do lençol freático pelo sistema de redes de esgoto existente no subsolo da cidade. Essa contaminação é aflorada nas “minas”, e ingerida pelas pessoas que consomem essa água contaminada.
Durante o período chuvoso a contaminação tende aumentar, pois a água da chuva que infiltra no solo, passa pelo sistema de rede de esgoto e leva a contaminação até o lençol freático.
Placas foram fixadas em todas as “minas” interditadas, com finalidade de orientar a população sobre o risco eminente de se contrair doenças de veiculação hídrica. A liberação das “minas” compete EXCLUSIVAMENTE a Vigilância em Saúde, que utilizará critérios técnicos para execução da mesma.
Contato: Vigilância em Saúde (35) 3571-3773 / 3571-2282, ou na Avenida Dr. Américo Luz, nº 216 – Centro.

Prefeitura de Muzambinho assinou convênio com a Universidade Federal de Lavras

No dia 07 de dezembro, na cidade de Lavras, a Prefeitura Municipal de Muzambinho através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, assinou o termo de adesão junto a Universidade federal de Lavras. Com este termo assinado, no ano de 2011 o Aterro Controlado de Resíduos Sólidos Domiciliar passa a ser acompanhado por técnicos e alunos de mestrado e doutorado da UFLA. Eles  virão a Muzambinho para acompanhar a situação do Aterro e fornecer todas orientações para minimizar os impactos por ele causado.
O convênio celebrado visa não só acompanhar, mas  fazer o levantamento e montagem de projeto para o novo aterro .
Participaram desta reunião e assinatura de convênio, o Gerente de Saneamento Ambiental Francisco Pinto Fonseca (FEAM) e Professor Dr. Antonio Marciano da Silva (UFLA).
Toninho Durante,  Secretario de Meio Ambiente, se mostrou confiante quanto a assinatura do convênio, pois o custo do município será zero e quanto mais orientação, melhor será o gerenciamento do Aterro Controlado de Muzambinho.