COLUNA MG (31 de Janeiro)

Publicado em 31/01/2018 - coluna-minas-gerais - Da Redação

COLUNA MG (31 de Janeiro)

Mais de 400 prefeitos esperados em BH

            Centenas de prefeitos das diferentes regiões de Minas Gerais são esperados nesta sexta-feira, dia 2, em um dia de debates, no Auditório JK, na Cidade Administrativa. O "Encontro dos Prefeitos Mineiros", promovido pela Associação Mineira de Municípios (AMM), já tem confirmado mais de 400 gestores movidos pelo objetivo de debater a crítica situação financeira dos municípios mineiros e buscar soluções para a quitação da dívida do Governo do Estado com as administrações municipais. Os municípios mineiros sentem os efeitos da crise financeira desde 2016 e a situação se agravou com os atrasos nos repasses do Governo do Estado a partir do início de 2017. (Ascom)

 

Infraero pode assumir aeroporto de Divinópolis

            O Prefeito de Divinópolis, Galileu Machado, recebeu na manhã de terça-feira a equipe técnica da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). O órgão analisa um pedido da prefeitura para assumir a gestão do Aeroporto Municipal Brigadeiro Cabral. O superintendente da Infraero, Paulo Eduardo Cavalcante, afirmou que já teve acesso ao relatório produzido pela Secretaria de Aviação Civil (SAC) sobre os próximos investimentos no Brigadeiro Cabral. Ele afirmou que a análise será concretizada nos próximos 90 dias e adiantou que  a parceria tem chances de ser concretizada pela carência da região. (Gazeta do Oeste - Divinópolis)

 

TJ aumenta indenização do Codau

            A 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais deu parcial provimento ao recurso de um grupo de consumidores que reclamaram defeito persistente na rede de água e esgoto em residência do bairro de Lourdes. Em 2016, decisão da 2ª Vara Cível de Uberaba condenou o Codau a pagar R$ 6 mil por danos morais à família. Para os desembargadores, devido à gravidade do caso, o valor da indenização devida foi aumentado para R$10 mil. (Jornal da Manhã - Uberaba)

 

Educação libera recursos para Araguari

            Na semana passada, em visita à cidade de Frutal (MG), o ministro da Educação, José Mendonça Filho, anunciou a liberação de mais de R$ 30,7 milhões para a educação básica de municípios do Triângulo Mineiro. Segundo informações do portal do Ministério da Educação (MEC), os recursos são destinados para dar sequência a obras paralisadas e iniciativas que propiciem melhorias na área educacional. Na lista das cidades beneficiadas com os recursos estão: Araguari, Campina Verde, Campo Florido, Carneirinho, Capinópolis, Claraval, Comendador Gomes, Coromandel, Cruzeiro da Fortaleza, Delfinópolis, Frutal, Gurinhatã, Ibiá, Itapagipe, Iturama, Limeira do Oeste, Monte Alegre de Minas, Monte Carmelo, Perdizes, Tupaciguara e Uberaba. (Gazeta do Triângulo)

 

Bombeiros treinam funcionários de creches

            Começou o treinamento de primeiros socorros para os funcionários das creches municipais de Manhuaçu, oferecido pelo 2º Pelotão de Bombeiros Militar. A instrução vai capacitar cerca de 320 pessoas divididas em oito turmas. Durante cinco dias, profissionais de todas as creches do município estão envolvidos em palestras e demonstrações que começaram ontem e terminam nesta sexta-feira, 2. "O treinamento tem como objetivo ensinar os procedimentos a serem tomados com crianças com idade entre 4 meses e 4 anos, no caso de algum acidente sofrido por elas, como: engasgos, quedas, paradas cardiorrespiratórias entre outros" - disse Tenente Flávio, comandante do 2º Pelotão Bombeiro Militar. (Diário de Manhuaçu)

 

ACIV Mulher planeja ações para 2018

            A Associação Comercial de Varginha- ACIV realizou reunião com a diretoria da entidade e representantes da ACIV Mulher para planejar as atividades que serão realizadas durante o ano. A presidente da ACIV Mulher, Andréia Mendonça, disse que o interesse do núcleo é apoiar os eventos já realizados pela Associação e ligar com ações que já acontecem no grupo. Um dos projetos consolidados pela ACIV Mulher é o Batom com Prosa que tem por objetivo comemorar o dia Internacional da Mulher, que esse ano será direcionado a um público alvo e buscará atrair mais empresárias para a ACIV. (Gazeta de Varginha)

 

Morre 1ª mulher vereadora de Juiz de Fora

            Faleceu no último final de semana Vera Faria de Medeiros Ribeiro, de 100 anos de idade. Ela foi a primeira vereadora da Câmara de Juiz de Fora. Ela contava que quis se tornar vereadora de tanto observar o exemplo que tinha na família. "Meu pai era representante do povo na Câmara. Sempre quis ajudar os mais necessitados", afirmava. Entre seus feitos, foi responsável pela criação da Guarda Mirim. "Me pediram ajuda para que a Guarda Mirim funcionasse. Tive que negociar com o prefeito na época, o ex-presidente Itamar Franco". Ela exerceu seu mandato entre os anos de 1964 a 1968 pelo MDB. (Tribuna de Minas - Juiz de Fora)

 

Muriaé tem programação de pré-carnaval

            O pré-carnaval "Esquenta, Muriaé" vai agitar a Praça João Pinheiro pelo segundo ano seguido. De 2 a 4 de fevereiro, a folia estará garantida com programação que inclui desfiles das escolas de samba muriaeenses, shows e bailes para crianças e idosos, promovendo cultura e lazer para os muriaeenses. A festa começa às 17h de sexta, 2, com a banda Sociedade Musical União dos Artistas animando o Baile da Melhor Idade. No sábado, 3, os desfiles começam às 21h30, com as escolas Canarinhos do Samba, Unidos do Santa Terezinha e Papagaio. (Gazeta de Muriaé)


Do holocausto, Shoa, nunca mais

Stefan Salej 

                As Nações Unidas declararam 27 de janeiro o dia da Memória das vítimas do holocausto. A data escolhida se refere à libertação pelos soviéticos do campo de concentração de Auschwitz, na Polônia. Aliás, um dos 40 mil campos de concentração e de trabalhos forçados, campos da morte, que os nazistas alemães mantinham com câmaras de gás e outros métodos para assassinar mais de 6 milhões de judeus  e mais cerca de 13 milhões de outros seres humanos, tais como como padres católicos, ciganos, comunistas, eslavos, homossexuais e pessoas com deficiências físicas ou mentais. Todos os  que o regime nazista liderado por Hitler, pelo fascista Mussolini e, com o apoio de simpatizantes nazistas nos países ocupados, consideravam inimigos de estado.

                A perseguição aos judeus não foi novidade na Europa. Na história mais recente, no século 15, os espanhóis e portugueses promoveram durante a Inquisição a matança e expulsão dos judeus da península ibérica. E precisaram de 500 anos para reconhecerem isso, devolvendo agora a cidadania portuguesa ou espanhola aos descendentes dos judeus perseguidos. Os reinos austríacos, em várias ocasiões da história, proibiram os judeus de habitarem suas terras ou exercerem suas profissões. Na Rússia e Polônia, assim como na Romênia, existiam Pogroms que consistiam em agressões físicas e queima de aldeias onde moravam os judeus, e sua expulsão. Ou seja, a  perseguição existia desde os tempos dos gregos, romanos, assírios, mas na história moderna foi a Shoa, palavra em hebraico que significa catástrofe, que provocou mortes de forma sistêmica e a mais cruel vista na história da humanidade.

                Após 72 anos do término da Segunda Guerra Mundial, a pergunta que fica é se a humanidade, tão evoluída do ponto de vista tecnológico, pode repetir esses acontecimentos e se de fato o antissemitismo, o ódio racial, foram enterrados com os mortos do holocausto ou não.

                A resposta clara e em voz alta é: sim.  Sim, o antissemitismo não está enterrado, está vivo e está se tornando, como o racismo e discriminação racial até política de estado. De novo. Os nazistas que depois da guerra fugiram, inclusive para a Argentina, Chile, Paraguai e Brasil (onde se esconderam nas empresas alemães como a VW e Mannesmann, entre outras) ressurgiram com nova roupagem na Europa. Na Áustria, ganharam as eleições, na Alemanha entraram no parlamento, na França o Front Nacional nega o holocausto, na Polônia, na semana passada, aprovaram leis que negam a participação polonesa no holocausto, na Croácia multidões saúdam nos estádios de futebol com bandeiras de ustashas colaboradores dos nazistas, na Ucrânia as leis proíbem críticas ao regime nazista. E mais, na Hungria no dia da Memória das vitimas do Holocausto, os neonazistas fazem festa em homenagem ao seu líder durante a guerra, que mandou mais de 400 mil judeus para morte.

                Nunca mais não quer dizer medo de que voltemos aos tempos do nazismo. Mas diz com clareza que os valores da civilização em que vivemos e que são tão bem representados pelos valores judaicos, entre outros, devem ser  preservados. Lutar pela justiça social, lutar pela igualdade racial e pelo respeito religioso, e lutar contra todas as formas de antissemitismo renascido, é preservar a democracia e respeitar os mortos no shoa.

                Nunca mais não são palavras ocas, lembradas uma vez por ano, são um compromisso de todo dia,  para que o mundo seja mais igual, melhor para todos. 

STEFAN SALEJ, consultor empresarial, foi presidente do Sitema Fiemg e Sebrae MG

ascom