Coluna MG (11 de Janeiro)

Publicado em 11/01/2018 - coluna-minas-gerais - Da Redação

Coluna MG (11 de Janeiro)

COLUNA MG - Rede de Notícias do Sindijori MG / www.sindijorimg.com.br

 Procon constata variação de preços 

O levantamento de preços de material escolar foi realizado pelo Procon Araxá, entre os dias 2 e 5 deste mês. Ao todo, 34 itens foram pesquisados em 10 estabelecimentos comerciais. A metodologia de trabalho é feita em busca do valor mais caro e o mais barato de cada item incluído na pesquisa. A pesquisa apontou variação de preço, no mesmo produto e da mesma marca, de até 321% em estabelecimentos diferentes. Em produtos de marcas diferentes, a maior variação de preços foi da caneta esferográfica, que em um dos estabelecimentos custa R$ 0,35 e em outro, R$ 4,49. Produtos da mesma, a maior variação foi da tesoura sem ponta - cabo plástico, que variou de R$ 2,60 a R$ 10,95. (Diário de Araxá)

 Mercado de Caratinga será revitalizado

A Associação dos Feirantes de Caratinga se reuniu com o prefeito Wellington Moreira de Oliveira e auxiliares para tratar de questões em torno do projeto de revitalização do Mercado Municipal Roberto de Rezende Carli com recursos que serão destinados pelo Governo do Estado no valor de R$ 800.000. A previsão de liberação da verba é para fevereiro e as obras estão previstas para começar ainda no primeiro semestre. Dentre as melhorias, estão previstas mudança do piso e construção de boxes fixos. Segundo o prefeito, a intenção é facilitar a atuação dos feirantes para que não haja necessidade de desmontarem suas bancas, como acontece atualmente. (Diário de Caratinga)

 Programa seleciona voluntários em SL

Em 2018, o programa Meu Primeiro Negócio contemplará 650 escolas em todo o estado. Para auxiliar na formação empreendedora de jovens do Ensino Médio, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes) está com inscrições abertas para voluntários que queiram atuar na iniciativa. Para participar, basta que o interessado preencha o formulário disponível em www.meuprimeironegocio.mg.gov.br com seus dados pessoais até o dia 11 de fevereiro.   Para ser voluntário do programa é necessário ter mais de 18 anos completos até a data de divulgação dos voluntários participantes, entre outros requisitos. (Sete Dias - Sete Lagoas)

 Curso de Degustação de Café abre inscrições

Serão abertas, a partir da próxima semana, as pré-inscrições para o 20º Curso de Classificação e Degustação de Café do Centro do Comércio de Café do Estado de Minas Gerais, em Varginha. O prazo vai até o dia 26 de janeiro. O curso é realizado apenas uma vez por ano e acontecerá entre 20 de fevereiro a 30 de maio, sempre às terças e quintas-feiras. O objetivo é promover e valorizar o tema café, onde o aluno vai aprender a classificar o fruto, além de degustar variados tipos de bebida para a escolha do primordial produto. A iniciativa tem a finalidade de capacitar tecnicamente profissionais para atuar no mercado. (Gazeta de Varginha)

Plano de ação sobre drogas no pré-carnaval

Iniciando as atividades previstas no plano de ação para 2018, proposto pelo Comitê Gestor de Políticas sobre Drogas, a Secretaria Adjunta Sobre Drogas e Direitos Humanos de Divinópolis distribuirá materiais informativos durante o pré-carnaval em Divinópolis. A ação ocorrerá em 3 de fevereiro durante todo o dia na praça do Mercado. De acordo com a coordenadora de programas de prevenção às drogas, Luciana Capanema, a equipe atuará em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), por meio do Serviço de Atendimento Especializado e Caps-AD. A intenção é orientar para que os foliões aproveitem o pré-carnaval com segurança. (Portal Agora - Divinópolis)

 Parlamento terá participação da Câmara

Com o objetivo de oficializar sua participação no Projeto Parlamento Jovem Edição 2018, a Câmara Municipal de Leopoldina aprovou o Projeto de Resolução nº 25/2017 que "Referenda Termo de Adesão ao Projeto Parlamento Jovem - edição 2018 e dá outras providências". De autoria da Mesa Diretora, a proposição tem o objetivo de referendar o Termo de Adesão, assinado no dia 4 de dezembro de 2017, através do qual a Câmara Municipal de Leopoldina declarou sua participação no Projeto Parlamento Jovem, edição 2018, realizado pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais, por intermédio de sua Escola do Legislativo e demais entidades envolvidas. (Leopoldinense)

 4,5 mil mudas são plantadas em Botelhos

Para auxiliar na preservação dos bens naturais na área rural de Botelhos, a AES Tietê realizou uma parceria com a Secretaria de Desenvolvimento da cidade. O projeto "Plantando Água", iniciativa da prefeitura municipal, recebeu da empresa cerca de 4,5 mil mudas, distribuídas entre 25 produtores rurais de Botelhos. Além da doação, a ação contribuiu com o desenvolvimento de projetos de recuperação das nascentes presentes na região. Aproximadamente 40 mil m² estão sendo reflorestados no entorno de 26 nascentes na área rural de Botelhos. (A Folha Regional - Muzambinho)

 Timóteo prorroga prazo de isenção do IPTU

A Prefeitura de Timóteo, por meio da Secretaria de Fazenda, anunciou a prorrogação do prazo para solicitação da redução ou isenção de pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbano - IPTU 2018. A iniciativa beneficia os contribuintes com direito ao benefício que perderam o prazo inicial, encerrado em dezembro. Com a prorrogação, o novo prazo agora é até o dia 31 deste mês. (Diário Popular)


Da venda da Embraer e da perda da soberania tecnológica - Stefan Salej

Se pioramos na última Copa do Mundo de futebol tão drasticamente que o sentimento nacional de incapacidade nos atingiu de forma quase insuperável (poxa, até no futebol este país esta mal), isso não aconteceu com o nosso campeão tecnológico fundado nos idos dos anos 70 pelos militares da aeronáutica, a Embraer. Originária de uma das melhores escolas de engenharia do país,  o ITA-Instituto Tecnológico da Aeronáutica, a empresa, cujo pai oficial é o Coronel Ozires Silva, grande amigo da nossa Fundação Dom Cabral, foi eficaz durante o período em que estava sob comando estatal e se tornou um campeão mundial após a privatização.

Viajar nos seus aviões pelas maiores empresas  aéreas do mundo enche o peito de orgulho. Este avião é brasileiro. Feito no Brasil, ou Portugal ou Estados Unidos. Ele é o resultado de um conjunto de tecnologias desenvolvidas no Brasil e com os componentes como motores  do mundo inteiro. E é claro, a parte eletrônica. Ou seja, uma perfeita integração à escala mundial de produção.

Nas exportações brasileiras, que são dominadas pelas commodities, a Embraer é o nosso exportador número um na lista dos manufaturados. Em um  mercado internacional quase que oligopolizado pelas grandes empresas, a europeia Airbus e a americana Boeing, a Embraer não só enfrentou bem a concorrência da Bombardier canadense, com apoio escancarado do seu governo, mas também a de outros concorrentes. Venceu com competência.

Agora,  a empresa precisa olhar para a frente e ver o que fazer. Nosso país, por si só,  não oferece muitas oportunidades de desenvolvimento  de empresas com alta tecnologia. Nossa indústria hoje, com raras exceções, como a WEG na área elétrica, Maxion nos transportes, Suzano e Fibria na celulose e papel, e mais algumas, é dominada pelo capital estrangeiro que não desenvolve tecnologia de ponta no país.

Portanto, encontrar alianças para  desenvolver tecnologias e mercados é um caminho lógico para qualquer empresa. A oferta da Boeing para comprar a Embraer é  totalmente lógica para a empresa americana. Mas será que ela tem  razão de ser  para a empresa brasileira, na qual o governo mantem poder de veto, Golden share,  no caso da venda?

Recentemente, três países europeus, Reino Unido, Alemanha e França, e o mesmo vale para os Estados Unidos, restringiram a venda de empresas  consideradas  tecnológicas e estratégicas. Assim, se a Embraer quiser comprar, como  os cervejeiros brasileiros fizeram com empresas  de cerveja no mundo inteiro, a Boeing ou a Airbus, não pode.

Vender a Embraer , que é uma empresa privada, para a Boeing, não é vender uma empresa a mais para estrangeiros, é dar uma mensagem clara para quem desenvolver empresa no Brasil. A de que o negócio é vender a empresa e não insistir em enfrentar os desafios de tecnologia do mercado internacional.

Encontrar alianças  é fundamental e provavelmente esse é o caminho da Embraer. Mas vender o controle da empresa, é vender a alma  da esperança de que no Brasil somos capazes de fazer uma empresa global. Algo que ninguém em sã consciência faria, inclusive porque a Embraer  é uma empresa sólida do ponto de vista  financeiro. E não há duvida alguma de que a curto prazo haverá muita gente embolsando muito dinheiro na transação, e que a médio prazo, mesmo com todas as promessas e dizendo que a Boeing já tem centro de pesquisa no Brasil, a Embraer vai virar mera filial, executando ordens. Yes, sir, yes.

STEFAN SALEJ, consultor internacional, foi presidente do Sistema Fiemg e Sebrae MG.