IFSULDEMINAS- Campus Muzambinho e APAEs da região celebram Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla

Publicado em 23/08/2018 - cidade - Da Redação

IFSULDEMINAS- Campus Muzambinho e APAEs da região celebram Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla

O IFSULDEMINAS- Campus Muzambinho recebeu alunos e professores de APAES da região para atividades de integração dentro da programação da Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla. A semana acontece entre os das 21 e 28 de agosto e neste ano tem como tema “Família e pessoa com deficiência, protagonistas na implementação das políticas públicas" e tem o objetivo para reafirmar a importância da participação da família, em todos os processos de vida de seus filhos, seja educacional, de desenvolvimento, de habilitação e reabilitação, e demais projetos como na gestão das Apaes. O evento reuniu 80 estudantes e representantes das APAES de Muzambinho, Ipuiúna, Areado e Cabo Verde.

A recepção dos alunos foi feita no prédio da Informática pelo coordenador geral de ensino Hugo Baldan Júnior, representando o diretor-geral do campus Renato Aparecido de Souza. Os professores Braúlio Luciano Alves Resende e Generci Dias Lopes, representaram o Projeto “Aprendendo com as Diferenças”, uma parceria firmada entre APAES da região e IFSULDEMINAS- Campus Muzambinho há quatro anos. Ainda participaram do encontro a professora atendimento especializado específico do IFSULDEMINAS Roana Magri, a representante do Núcleo de Atendimento às Pessoas com Necessidades Especiais (NAPNE), professora Ieda Kawshita; além da diretora do APAE de Areado, Claudinele Maria de Oliveira, do representante da APAE de Ipuiúna, José Rodrigo Lopes, da diretora da APAE de Cabo Verde, Maria Cândida Batista Luiz e da diretora da APAE de Muzambinho, Cleide dos Santos Ribeiro.

Depois do evento os alunos tiveram um passeio de interação pelos diversos setores do Campus Muzambinho e ao final do encontro participaram de um piquenique.

Aprendendo com as Diferenças

O IFSULDEMINAS- Campus Muzambinho promove a inclusão de pessoas com deficiência intelectual, motora e múltipla por meio do ingresso de alunos através de vestibulares adaptados para cada necessidade. De acordo com professora de atendimento especializado específico Roana Magri, o campus atende atualmente 10 alunos nos programas de inclusão. “Neste ano o tema da Semana Nacional da Deficiência Intelectual e Múltipla é a família, que se faz necessária para luta de políticas de inclusão nas escolas”, explica a professora ligada ao NAPNE.

O Projeto “Aprendendo com as Diferenças” existe há quatro anos e mantém parceria com as APAES de Ipuiúna, Cabo Verde, Areado e Muzambinho. Mas a troca de experiências entre o IFSULDEMINAS0- Campus Muzambinho com a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais acontece desde 2002.

Dentro do projeto, o IFSULDEMINAS- Campus Muzambinho ministra treinamento para alunos e professores da APAE nas áreas de plantio de hortaliças, frutas e cuidados com pequenos animais como auxílio na prática de terapia ocupacional dos alunos da entidade. Estudantes do curso de Educação Física também participam do convênio desenvolvendo atividades motoras para os alunos com necessidades especiais. “O projeto tem a função de fazer o aluno se sentir à vontade dentro do campus com atividade prática e fazendo da maneira que ele acha correto, com os professores orientando. Temos atividades nos setores de Olericultura (horta), avicultura, caprinocultura e cunicultura”, ressalta o professor Generci Dias Lopes.

Semana Nacional

Em 2017 foi sancionada a Lei 13.585 de 26 de dezembro de 2017, que institui a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla nos dias 21 a 28 de agosto.

Segundo estimativa da Federação Nacional das Apaes, 250 mil brasileiros possuem algum tipo de deficiência intelectual e múltipla.

Durante a semana, a FENAPAE convoca todas as Apaes e entidades filiadas a realizarem ações de incentivo em seus municípios e estados e convida toda a sociedade a participarem dessa grande mobilização.

ASCOM / TEXTO: Carol Negrão com informações da FENAPAE