Espiritualidade e religião

Publicado em 26/01/2018 - cesar-vanucci - Da Redação

Espiritualidade e religião

“Somos seres espirituais passando por uma experiência humana.” (Pierre Teilhard de Chardin)

Este acolhedor espaço, utilizado costumeiramente, para divulgar singelos conceitos deste desajeitado e bem intencionado escriba, que em esvoaçantes quimeras esforça-se por interpretar o sentido das coisas, vai ser agora ocupado, com estrondoso ganho para o fiel e culto leitorado, por uma figura de fulgurância transcendente do pensamento humanístico e espiritual. Um personagem reconhecido, nos domínios da sabedoria universal, pela missão que chamou a si de compor elo pujante integrando ciência e teologia.  Alguém de porte intelectual equivalente ou até mesmo superior ao genial Albert Einstein. 

Padre pertencente à mesma ordem religiosa deste fascinante Francisco - o grande estadista da história contemporânea -, teólogo, filósofo e paleontólogo de nacionalidade francesa, nascido em 1º de maio de 1881 e “encantado” (como diria nosso Guimarães Rosa) em 10 de abril de 1955,  Pierre Teilhard de Chardin é autor de uma frase que revela toda estupenda dimensão da cultura filosófica que exornou sua admirável  trajetória sacerdotal e científica. Esta, a frase: “Na escala cósmica, só o fantástico tem probabilidade de ser real. As coisas na escala cósmica não são tão fantásticas quanto a gente imagina, mas muito mais fantásticas do que a gente jamais conseguirá imaginar.”

Amigo dileto encaminhou-me precioso texto de autoria de Chardin. Nele, o notável pensador explica, de forma poética e com saber que enleva e conforta a alma, a distinção entre religiosidade e espiritualidade. Aconteceu de, numa palestra que fiz indoutrodia, à qual o citado amigo esteve presente, sublinhando a importância fundamental do ecumenismo como fator de promoção da paz universal e do bem-estar social, haver aludido às diferenças, por um mundão de pessoas ignoradas, entre os fazeres religiosos e as práticas espirituais. A remessa do magistral texto de Teilhard de Chardin adveio dessa circunstância. Em assim sendo, convido os leitores a compartilharem esta mensagem de infinita beleza endereçada – visto está - a homens e mulheres de boa vontade, de todas as latitudes geográficas, todos cultos e todas as raças.

“A religião e a espiritualidade. A religião não é apenas uma, são centenas. / A espiritualidade é apenas uma. / A religião é para os que dormem. / A espiritualidade é para os que estão despertos. / A religião é para aqueles que necessitam que alguém lhes diga o que fazer e querem ser guiados. / A espiritualidade é para os que prestam atenção à sua voz Interior. / A religião tem um conjunto de regras dogmáticas. / A espiritualidade te convida a raciocinar sobre tudo, a questionar tudo. / A religião ameaça e amedronta. / A espiritualidade lhe dá paz interior. / A religião fala de pecado e de culpa. / A espiritualidade lhe diz: "aprenda com o erro". / A religião reprime tudo, te faz falso. / A espiritualidade transcende tudo, te faz verdadeiro! / A religião não é Deus. / A espiritualidade é Tudo e, portanto é Deus. / A religião inventa. / A espiritualidade descobre. / A religião não indaga nem questiona. / A espiritualidade questiona tudo. / A religião é humana, é uma organização com regras. / A espiritualidade é Divina, sem regras. / A religião é causa de divisões. / A espiritualidade é causa de união. / A religião lhe busca para que acredite. A espiritualidade você tem que buscá-la. / A religião segue os preceitos de um livro sagrado. / A espiritualidade busca o sagrado em todos os livros. / A religião se alimenta do medo. / A espiritualidade se alimenta na confiança e na fé. / A religião faz viver no pensamento. / A espiritualidade faz viver na consciência. / A religião se ocupa com fazer. / A espiritualidade se ocupa com ser. / A religião alimenta o ego. / A espiritualidade nos faz transcender. / A religião nos faz renunciar ao mundo. / A espiritualidade nos faz viver em Deus, não renunciar a Ele. / A religião é adoração. A espiritualidade é meditação. / A religião sonha com a glória e com o paraíso. / A espiritualidade nos faz viver a glória e o paraíso aqui e agora. / A religião vive no passado e no futuro. / A espiritualidade vive no presente. / A religião enclausura nossa memória.  / A espiritualidade liberta nossa consciência. / A religião crê na vida eterna. / A espiritualidade nos faz consciente da vida eterna. / A religião promete para depois da morte. / A espiritualidade é encontrar Deus em nosso interior durante a vida. / Não somos seres humanos passando por uma experiência espiritual.../ Somos seres espirituais passando por uma experiência humana...//”

*  Jornalista ([email protected])