Cada coisa!

Publicado em 08/01/2018 e atualizado em 11/01/2018 - cesar-vanucci - Da Redação

Cada coisa!


O “Troféu”. O governo tucano do Estado de São Paulo qualifica-se, pelo visto, como candidato fortíssimo na renhida disputa pelo ambicionado troféu “Cara de Pau” 2017. Com comovente pudicícia, a ponto de despertar inveja até em escolados estrategistas em manjadas manobras casuísticas e fisiológicas, tão a gosto da grei política, anunciou em tom solene a inabalável decisão de processar as empreiteiras corruptas que, em conluio com agentes públicos e políticos, estruturaram na gestão administrativa bandeirante esquemas de supervalorização dos custos de obras públicas. E, via de consequência, instituíram propinoduto de avolumado tamanho, contemplando elementos da patota governista. O esquema montado pelo cartel de empresas “ameaçadas” de serem levadas às barras dos tribunais pelas patifarias cometidas é, sem tirar nem por, cópia escarrada dos modelos que resultaram em operações de investigação do tipo “Lava Jato”. Isso não vai ficar assim, não, assegura, “destemidamente”, o governo bandeirante. É o que todo mundo, aturdido e inconformado com tanta bandalheira, sinceramente almeja.

“Penduricalhos”. Relatório divulgado em janeiro passado pelo Conselho Nacional de Justiça estima que, em 2015, os “penduricalhos” nas folhas de pagamento dos servidores do Judiciário alcançaram a cifra himalaiana de 7 bilhões e 200 milhões de reais.  Por “penduricalhos” compreenda-se conjunto de vantagens adicionais às remunerações salariais, gênero “auxílio moradia” etecetera, etecetera... O jornalista Élio Gáspari lança, a propósito da revelação, sugestivo e atordoante dado comparativo. As toneladas de ouro extraídas de Serra Pelada, maior jazida do mundo a céu aberto do nobre metal, renderam em grana sonante, valores de hoje - vejam só! -, 4 bilhões e 600 milhões de reais. Dá procês?

“Desvios”. A direção da Eletrobrás houve por bem contratar os serviços de renomada organização especializada, a “Hogan Lowes”, para apurar supostos desvios de recursos domésticos. A prestação de serviços do escritório custou aos cofres da empresa a bagatela de 400 milhões de reais. Os desvios criteriosamente levantados somaram valor um tiquinho menor: 300 milhões. A desconcertante informação é fornecida pelo jornalista Maurício Lima, na “Veja”.

“Certeza”. “Tenho 101% (cento e um por cento) de certeza de que ele é um cidadão honesto”. O categórico pronunciamento foi feito pelo deputado Paulo Maluf, ex-governador, ex-candidato à Presidência, atual ocupante de uma cela em presídio federal, referindo-se ao Presidente Michel Temer, à saída do Palácio do Governo, depois de cordial visita de solidariedade ao amigo de décadas.

“Discriminação”. Integrante das fileiras do “Podemos”, o deputado Rodrigo Delmasso, da chamada “bancada evangélica”, manifestou recentemente o propósito de instituir a “Semana de valorização da heterossexualidade”. Garantiu, em declaração tornada pública, ser alvo de discriminação, volta e meia, por confessar-se hetero.

“Vapores afrodisíacos”. A pequena vila de Ringaskiddy, na Irlanda, sedia fábrica da Pfizer onde é fabricado o medicamento de maior saída nas farmácias de todo o mundo, o “Viagra”. Em decorrência, ao que se presume, de marquetagem ardilosamente orquestrada, o povoado tem atraído, de tempos a esta parte, crescente volume de turistas. Tudo por conta de intrigante “revelação” que os moradores botaram pra circular. Segundo eles, ninguém no lugarejo carece recorrer a receitas pra desfrutar os efeitos do remédio. O “pessoal” jura que a apelidada “fumaça do amor”, expelida pelas chaminés da fábrica, contém poder afrodisíaco mais do que suficiente para combater com eficácia a disfunção erétil. Os cientistas negam. Dizem que tudo não passa de conversa fiada. Mas, pelo sim, pelo não, relatos chegados da vila garantem que as aglomerações masculinas (e até femininas) ao redor da unidade fabril vão se fazendo mais frequentes, a cada dia.

Cesar Vanucci - Jornalista ([email protected])