Cafeicultores no Campus Muzambinho buscam recuperar perdas no setor

Publicado em 11/03/2018 - agronegocio - Da Redação

Cafeicultores no Campus Muzambinho buscam recuperar perdas no setor

No dia 02 de março, cafeicultores e representantes de outros segmentos da economia participaram de importante encontro no IFSULDEMINAS Campus Muzambinho. Fernando Barbosa (São Pedro da União) explicou que o encontro teve por objetivo acolher e formatar as propostas encaminhadas pelos cafeicultores. Alguns produtores consideram que as medidas de opções seriam a melhor alternativa. Outros já observam a questão do preço mínimo, marketing do café e outras situações. Na sequência, também foi montada uma comissão para participar de uma audiência pública nacional envolvendo cafeicultores e demais segmentos. Fernando também revelou que houve uma tentativa de reunião em Guaxupé, mas que caminhou com outro foco. Com isso, surgiu a possibilidade de nova reunião no Campus Muzambinho para formatar as propostas apresentadas no encontro anterior.

O produtor Armando Matiello, grande liderança nacional, revelou o objetivo de promover a união da cafeicultura nacional, que hoje está muito “provinciana”. E revelou: “Estamos vendendo o café por um preço ridículo, abaixo do custo de produção. Queremos que seja feita uma correção do preço mínimo e uma política condizente com aquilo que o setor precisa”. Matiello confirmou que o preço baixo faz com que os produtores percam dinheiro, em torno de R$ 14 bilhões por ano. Uma situação inadmissível que somente vai gerar pobreza. “Estamos aqui para trabalhar e trazer riqueza para o país”, falou. Para tanto, segundo ele, os produtores devem receber mais dinheiro, para promover a distribuição de renda aos trabalhadores rurais e a sociedade de um modo geral. A liderança acrescentou que a reunião tratou de reivindicações do setor produtivo, sem o envolvimento político. “Estamos cansados de deixar por conta de políticos e nada se resolve”. Anunciou que a próxima reunião contará com produtos de Rondônia, Espírito Santo, São Paulo e outros estados brasileiros.

O encontro no Campus Muzambinho contou com a participação de 19 participantes, entre representantes da Emater, Sincal, CCCMG, Campus Muzambinho, APROD Divinolândia, Sindicato de Ibitacy, Concafé, CCAMOG e AssProcafé. No final, os cafeicultores apresentaram a proposta de retirada de 8 milhões de sacas de café do mercado. Também foram aprovadas três propostas: mercado de opções, reajuste do preço mínimo e adequação na instrução normativa nº. 16.